Curso sobre infecções fúngicas invasivas, que mata até 70% dos casos, será realizado nesta quarta em M anaus

Com uma taxa de mortalidade que pode chegar a 70% dos casos, segundo dados da Sociedade Brasileira de Infectologia, as infecções fúngicas invasivas são um dos maiores desafios enfrentados por profissionais de saúde que atuam em unidades de terapia intensiva (UTIs). Em Manaus, o tema é alvo de uma palestra que será promovida pela Sociedade Amazonense de Terapia Intensiva (SATI), nesta quarta-feira (21), às 19h30, no auditório do Conselho Regional de Medicina (CRM), com a orientação do médico mineiro Hugo Urbano.

De acordo com o palestrante, que também atua como coordenador do Centro de Terapia Intensiva do Hospital Vila da Serra, em Nova Lima (MG), o objetivo do curso é atualizar e capacitar os profissionais amazonenses para atuar de forma eficiente diante da suspeita de infecção fúngica.

As infecções fúngicas invasivas podem surgir em pacientes submetidos a longos períodos de antibiótico e corticoterapia em UTI, pacientes que passaram por grandes cirurgias, pacientes oncológicos submetidos a longas quimioterapias entre outros.

“O reconhecimento precoce é essencial para reduzir o impacto da doença e dos óbitos que incidem na UTI. Os pacientes críticos são mais vulneráveis a infecções devido seu estado clínico e a variedade de procedimentos invasivos realizados rotineiramente”, explicou Urbano.

Ainda segundo ele, o conteúdo da palestra será dividido em "Como Suspeitar", "Como Confirmar o Diagnóstico" e "Como Tratar" a doença, que possui poucos sinais clínicos característicos. Além disso, abordará de forma prática informações gerais e as diretrizes atuais sobre o tema.

“As infecções fúngicas invasivas possuem diagnóstico demorado, o que resulta não só no aumento de mortes, mas no tempo de internação e nos custos. Demonstraremos a importância de manter um alto nível de suspeição e do tratamento preemptivo, ou seja, só com a suspeita, sem a necessária confirmação. Tudo para conduzir bons resultados”, afirmou.

Responsável pela realização de diversas conferências sobre o tema, Hugo Urbano é especialista em Medicina Intensiva pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) e instrutor de três cursos da instituição. Também é coordenador da pós-graduação em Urgência, Emergência, e Terapia Intensiva da Fundação Unimed.

As vagas para o curso são limitadas e as inscrições podem ser realizadas na sede da SATI, localizada na Rua Acre, no conjunto Vieiralves, das 13h30 às 16h30. O investimento é de R$ 50 para médicos, R$ 40 para profissionais de saúde e R$ 30 para acadêmicos. Informações mais detalhadas somente no telefone 3622-2144.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.