AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Estudante e pesquisadora precisa de apoio para apresentar projeto científico na "Genius Olympiad"

Bárbara Amoras irá se apresentar em uma das maiores feiras de ciência e tecnologia do mundo, nos Estados Unidos, com o projeto “O Etnoturismo no Quilombo do Curiaú, uma Estratégia de Desenvolvimento Socioeconômico Sustentável”.
Lívia Almeida – ChicoTerra.com
12348197_774806762629811_587243635_n
Bárbara Amoras com Família Menezes da Silva, do escritor local Sebastião Menezes, moradores do Curiaú, onde acontece o projeto. Foto: Divulgação

Concorrendo com 200 projetos do Brasil e de outros países como: Mexico, Turquia, Peru e Chile para participar de um dos mais importantes eventos de ciência e tecnologia do mundo, a “Genius Olympiad”, na Universidade Estadual de Nova York, a estudante amapaense Bárbara Amoras (15), do ensino médio da rede pública de ensino e pesquisadora do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), conseguiu conquistar uma vaga, após se inscrever na Feira de Ciência e Tecnologia da Escola Açaí em Abaetetuba-PA   e ser selecionada. A pesquisadora vai apresentar o projeto intitulado “O Etnoturismo no Quilombo do Curiaú, uma Estratégia de Desenvolvimento Socioeconômico Sustentável”.

Segundo, Bárbara o projeto, que está em fase de construção, “é uma alternativa de desenvolvimento econômico para as comunidades tradicionais quilombolas da Amazônia”. A ideia central é que a comunidade oriunda de um quilombo seja autossustentável e que essa sustentabilidade venha do modo de vida, costumes e práticas tradicionais de comunidades quilombolas, como explica Bárbara: “Um dos preceitos é a autonomia da comunidade para gerir esse processo através de um turismo cultural a fim de desmistificar o turismo de entretenimento comumente ligado a comunidade”. O projeto foi construído com a ajuda de duas orientadoras, as professoras Mikaela Moreno Vasconcelos Araújo, de História e Iniciação Cientifica e Íris Maciel Pantoja, de Matemática e Iniciação Científica pelo CNPQ, que estão desde o início da ideia, sempre incentivando e apoiando a estudante.
Apoio
Este tipo de mobilização econômica é denominada etno desenvolvimento, que nada mais é do que o desenvolvimento através da cultura. Enquanto seu projeto continua a se desenrolar aqui no Amapá, na comunidade quilombola do Curiaú, distante 08 km da capital, Macapá, a estudante tenta conseguir apoio para viajar. Bárbara conta que já participou de outras mostras de ciência, a exemplo da “VI Mostra International de Ciência e Tecnologia da escola Açai”, em Abaetetuba no Pará, que foi o que lhe abriu as portas para participar da Genius Olympiad, onde conseguiu apoio para viajar, mas que até o momento ainda não possui patrocínio para a viagem ao exterior.
Para conseguir apresentar seu projeto nos Estados Unidos, Bárbara Amoras precisa tirar o visto, que custa US$  160 dólares, comprar as passagens aéreas,que estão em torno de R$ 3 mil reais e de apoio financeiro para estadia, tanto em Nova York, onde acontecerá a feira, como em Cambridge, onde conhecerá a “Huba Harvard Undergraduate Brazilian Association”, equipe de mentores que acompanha seu trabalho pelo programa de Mentoria Brasilitás . Ela aguarda respostas de algumas propostas que já fez e mesmo sem nada confirmado, acredita que conseguirá o auxílio. “De certa forma é muito complexo (conseguir apoio), principalmente tratando-se de um evento no exterior, mas não desacredito”, declara Bárbara.
Prazo
Bárbara está correndo contra om tempo, pois ela tem que estar em Nova York, no dia 10 de junho de 2016 ou seja, são seis meses para conseguir todo este auxílio para sua viagem. Para ela, sua participação não é apenas uma oportunidade para seu crescimento, mas principalmente para que o mundo conheça a cultura da Amazônia e de seu povo. “A Genius Olympiad é uma grande realização, não só como uma pesquisadora, mas também como forma de emponderamento das comunidades tradicionais da Amazônia. Quero levar o conhecimento a cerca do Amapá, do Curiaú e da presença do negro da Amazônia”, ressalta com orgulho a estudante.
Prêmios

A

Entre troféus e medalhas somam, 06 de feiras nacionais e amapaenses de matemática, 01 festival de música, 01 na área de Ciências Sociais. Foto: Arquivo Pessoal
Entre troféus e medalhas somam, 06 de feiras nacionais e amapaenses de matemática, 01 festival de música, 01 na área de Ciências Sociais. Foto: Arquivo Pessoal

seleção da jovem para participar do “Genius Olympiad” é fruto de muito empenho, tanto dela, quanto de suas orientadoras e mentores, mas também é reflexo de outras experiências que Bárbara já vivenciou em feiras de ciência e tecnologia, que chegaram a lhe render boas premiações. A jovem hoje totaliza prêmios como, 1º lugar em Ciências Sociais,  Prêmio de Incentivo a Ciência pelo Movimento de Incentivo a iniciação cientifica MOVICI, De Igarapé-Miri, bem como projeto destaque pela Associação Brasileira de Incentivo a Tecnologia e a Ciência e outros que, entre troféus e medalhas somam, 06 de feiras nacionais e amapaenses de matemática, 01 festival de música, 01 na área de Ciências Sociais.

História
Bárbara desde cedo começou a participar de projetos dentro da escola, que serviam de auxílio para a comunidade, como ela conta: “Inicio aos 11 anos, estimulada pela professora Íris Maciel Pantoja, tinha muita facilidade em lidar com os meus colegas de classe e começei com um projeto voltado para a dificuldade deles, enquanto estudantes e enquanto a situação social”. Sua afinidade com o social lhe fez se interessar pela área a ponto de querer seguir esta carreira profssional. “Sinto a necessidade de contribuir com as outras pessoas. E ser cientista é preocupar-se com avanços. E ser social é se preocupar com a sociedade. E eu escolhi um dos mais bonitos meios de pesquisa, que é trazer uma resposta embasada em mudança de ordem social”, explica Bárbara Amoras.
Contato
Quem estiver interessado em ajudar Bárbara, seus contatos são:
E-mail: [email protected]
Telefone celular: (96) 99104-9925
Agência 44350 Conta:17611-7

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: