Ouça "Episódio 52 - Notícias da Amazônia ao vivo com Lívia Almeida" no Spreaker.

Marabaixeiros anunciam início do Ciclo do Marabaixo 2016

Neste domingo, 20, na frente da Casa do Artesão, a partir das 16h, grupos culturais anunciam o Ciclo do Marabaixo, que inicia na Semana Santa, em quatro pontos de Macapá, e encerra no Domingo do Senhor. Dezenas de pessoas, entre cantadores e tocadores, estarão vestidos com as roupas tradicionais da festa, tocando caixas, espalhando ramos de murta e fazendo o convite para que participem e conheçam a festa mais tradicional do Amapá.

Quatro famílias realizam o Ciclo do Marabaixo, duas no bairro Laguinho e duas na Favela, atual bairro Santa Rita. Durante dois meses, familiares, devotos e visitantes participam da devoção e festejos para a Santíssima Trindade e Divino Espírito Santo, com missas, novenas, rodas de marabaixo, bailes e refeições, obedecendo o calendário do Ciclo, fundamentado no catolicismo. O festejo vem desde o início da colonização de Macapá. Quando as famílias migraram para os então desertos Laguinho e Favela, os pioneiros trouxeram a tradição do marabaixo.

No Laguinho festeja-se a Santíssima Trindade e Divino Espírito Santo e na Favela, somente a Santíssima. No decorrer do Ciclo, os barracões da Favela, localizados nas casas da dona Gertrudes Saturnino e dona Irene Pereira, ficam enfeitados com as cores da Santíssima, azul e branca. Nos barracões do Laguinho, as casas dos mestres Julião Ramos e Pavão, ficam com as cores da Santíssima, e vermelho e branco, do Divino Espírito Santo.

Durante toda programação, as mulheres usam as roupas características da festa, saia florida, camisa branca, flor no cabelo, e adereços coloridos. Junto com os homens, elas dividem as atividades de toda programação, da retirada dos mastros na mata, até tocar, as caixas, cantar e dançar. A gengibirra, fogos e caldo, são costumes ainda hoje preservados. Nos quatro barracões, pessoas de todas as idades participam dos grupos. É uma preocupação dos festeiros dar continuidade ao festejo.

Como forma de difundir conhecimento sobre o marabaixo, valorizar e conquistar o respeito através do aprendizado, os organizadores realizam durante a programação palestras e oficinas em escolas e faculdades. Também está programada a Corrida do Ciclo, para o dia 18 de junho.

Mariléia Maciel

Ascom/Ciclo do Marabaixo 2016

Conheça a coleção da Baiuca do Chico Terra

Publicado por Chico Terra em Sábado, 11 de julho de 2020

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: