PF prende no Pará três pessoas acusadas de fraudar o seguro-defeso em até R$ 10 milhões

Renata Martins

 

Grupo criminoso utilizava a Associação de Pescadores da Colônia Z-58 para prática de crimes. Reprodução PF

A Polícia federal prendeu nesta manhã (16) três pessoas acusadas de fraudar o seguro-defeso no Pará. A operação também cumpriu mandados de busca e apreensão em cinco locais, entre eles a sede da Associação de Pescadores da Colônia Z-58, em Nova Ipixuna, identificada pelos investigadores como a base dos crimes.

De acordo com as investigações, o grupo atuava incluindo falsos pescadores na lista de associados para receber as parcelas do seguro defeso. A fraude ocorria há quase 10 anos.

Se condenados, os suspeitos podem pegar de reclusão de até 15 anos. Os prejuízos causados pela fraude podem chegar a R$ 10 milhões.

O seguro defeso é pago ao pescador profissional-artesanal durante o período em que a pesca fica proibida. Este ano, o governo federal alterou as regras para o recebimento do benefício. O pescador precisa provar que vive exclusivamente da pesca, sem qualquer vínculo empregatício.

Ouça o áudio da matéria no site da Agencia Brasil

Deixe uma resposta