Educa

Novo Google Earth oferece viagem virtual pela Amazônia

O objetivo é fiscalizar as áreas de desmatamento, contar a história dos nativos e conscientizar acerca da preservação de seus espaços

São Paulo – O desmatamento da Amazônia preocupa o mundo inteiro. Muito além de abrigar a maior biodiversidade do planeta, a floresta é uma espécie de coração da Terra, interconecta as diferentes partes do globo. É o que mostra a nova plataforma do Google Earth Eu Sou Amazônia, lançada na terça-feira, 11, na sede da empresa, em São Paulo. O objetivo é fiscalizar as áreas de desmatamento, contar a história dos nativos e conscientizar acerca da preservação de seus espaços.

Para a diretora do Google Earth, Rebecca Moore, a ferramenta se tornou uma maneira de contar histórias para todo o planeta e unir pessoas. “Vivemos uma época de polarização. Precisamos de pontes de comunicação para pessoas diferentes. É uma forma de compartilhar experiências e emoções fortes”, disse.

Pela primeira vez, a ferramenta que fornece imagens tridimensionais de diferentes pontos do planeta disponibiliza conteúdo brasileiro para todo o mundo. Com material fornecido por moradores locais, a empresa mapeou áreas de quilombos e aldeias indígenas. A tecnologia, que muitas vezes ocupa o lugar de inimiga do meio ambiente, é a mais nova aliada na tentativa de conter o avanço da exploração ilegal das áreas de preservação da Amazônia.

Através de 11 histórias interativas, algumas produzidas por Fernando Meirelles – um dos mais renomados diretores de cinema do Brasil – a ligação da Amazônia com o resto do mundo é explicada através de textos, com tradução para o idioma da etnia representada, mapas interativos, vídeos e imagens em 360º. A floresta que produz 20% do oxigênio do planeta e abriga uma em cada 10 espécies de animais também é lar de diferentes povos e etnias e suas vidas são mostradas, junto com um resgate da história de exploração e matança desses povos.

Leia mais no Correio Braziliense

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.