Liberação do terreno para construção da nova penitenciária no Amapá será nesta sexta, 17

Educa

Durante a sessão desta quinta-feira (16), membros da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) deram uma boa notícia sobre a liberação do terreno localizado Km-17 da BR-156, para a construção da penitenciária masculina estadual, com recursos do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), no valor de R$ 31 milhões.

“A superintendente do Patrimônio da União no Amapá (SPU/AP), Liely Gonçalves de Andrade, garantiu que nesta sexta-feira, 17, será liberado o terreno”, frisou Jory Oeiras, informando que, com a certidão no sistema da SPU, mais um passo é dado para a construção do novo complexo penitenciário, que abrigará mais de 900 detentos.

O deputado Jaci Amanajás (PV) ressaltou que o Amapá não pode perder essa oportunidade de desafogar o sistema prisional, tendo em vista que o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) foi construído há 30 anos e está com sua população carcerária acima do limite. O presidente da Comissão de Segurança Pública, deputado Jory Oeiras, disse que os membros visitarão a Casa de Prisão Provisória de Palmas (TO), que servirá de modelo para a construção da nova penitenciária do Amapá. “A necessidade de uma penitenciária no estado é urgente”, observou Jaci.

Ao contribuir com a discussão, o deputado Paulo Lemos (Psol) criticou a falta de transparência quanto às informações do prazo para utilização da verba que está no Fundo Nacional Penitenciário (Fenapen). Paulo Lemos citou que o complexo penitenciário construído há 30 anos para abrigar pouco mais de mil presos, hoje está com sua população acima do permitido, o que deve influir na decisão dos juízes. “Estamos há três anos falando da tornozeleira eletrônica, e aqui no Amapá, quando vai ser usada, em 2027?”, indagou o parlamentar.

AGÊNCIA DE NOTÍCIAS – ALAP

Texto: Everlando Mathias

Foto: Jaciguara Cruz

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.