AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Falta de investimento impede divulgação do Brasil no exterior

Apesar de seu grande potencial em recursos naturais e culturais, o Brasil não tem conseguido atrair tantos turistas estrangeiros quanto outros países. Além de problemas estruturais, a falta de investimento do governo federal na área prejudica a divulgação do País no exterior, apontam especialistas.

Para o presidente da Embratur, Vinícius Lummertz, é essencial que haja uma compreensão e um planejamento estrutural do turismo no Brasil como uma área importante para o crescimento da economia, a exemplo de países vizinhos, como Colômbia, Peru e Argentina, que tiveram um avanço do setor maior do que o do Brasil nos últimos anos.

Segundo ele, o País divulga pouco até mesmo seu envolvimento em áreas em que é líder, como a exportação de suco para a Europa. Lummertz citou a falta de exploração de recursos naturais como uma oportunidade desperdiçada pelo Brasil: “66% do território nacional é ocupado por parques e reservas, mas eles recebem só 9 milhões de visitantes. Nos Estados Unidos, com uma área muito menor, 330 milhões de turistas vão a esses lugares todos os anos”, afirmou.

De acordo com o presidente da Embratur, no ano passado, o crescimento de Portugal foi de 4%, e teria sido de -1% se não houvesse o turismo. “É esse nível de compreensão da importância do setor para a economia que temos de buscar para o turismo do Brasil”, disse.

Lummertz também defendeu a possibilidade de transformação da Embratur em um organismo semelhante ao Sebrae, que preste apoio e incentivo às micro e pequenas empresas da área de turismo, em um projeto de lei que deverá ser votado no Congresso em breve.

A professora de pós-graduação em administração da Unigranrio Deborah Moraes Zouain destacou a importância de utilizar mecanismos que promovam a interatividade entre os cidadãos, como as redes sociais, para melhorar a imagem passada pelo País no exterior e também a comunicação com a população, diminuindo problemas de organização no caso de megaeventos, como as Olimpíadas do Rio de Janeiro.

“No Rio, as redes sociais explodem com o que tem de negativo, como a violência. Para melhorar isso, é preciso trabalhar a interação entre todos os atores da cadeia de turismo e atuar na revitalização de áreas da cidade. Esse é um gargalo que tem levado a dificuldades do desenvolvimento econômico”, disse.

O papel dos órgãos ligados ao turismo é o de interagir e cobrar recursos do governo para a área, segundo a presidente da Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), Magda Nassar.

Veja mais no Jornal do Comércio

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: