Educa

7 alimentos que combatem a depressão: o abacate é um deles

Uma simples mudança no hábito alimentar pode ajudá-lo a diminuir os sintomas desse distúrbio

Segundo a Organização Mundial de Saúde, mais de 300 milhões de pessoas sofrem com a depressão. Isso indica um aumento de mais de 18% entre 2005 e 2015. Como as estatísticas apontam, esta é a principal causa de incapacidade no mundo.

Esse distúrbio afetivo acompanha a humanidade ao longo de sua história. Pessoas que sofrem com a depressão apresentam uma tristeza profunda, perda de interesse generalizado, falta de ânimo, de apetite, ausência de prazer e oscilações de humor que podem culminar em pensamentos suicidas.

Os motivos deste distúrbio podem ser muitos, desde uma desordem em neurotransmissores até problemas emocionais ou outras doenças. De qualquer forma, há uma maneira de atenuar seus efeitos através de 7 alimentos que, segundo a ciência, podem combater a depressão:

Pixabay CC

1. Ovo
Os ovos contêm os aminoácidos que todos os seres humanos precisam para produzir neurotransmissores, como a serotonina, fundamentais na luta contra a depressão.

Além disso, como o ovo é rico em proteínas, o seu consumo dará muita energia. Se comê-lo pela manhã, terá um dia mais ativo.

2. Nozes

A popular noz também contêm proteínas e antioxidantes, sendo um dos alimentos vegetais com mais ômega 3 no mundo. De acordo com a Mayo Clinic, um centro médico norte-americano sem fins lucrativos, o ômega 3 pode ser “benéfico no tratamento da depressão leve ou moderada”, embora “mais pesquisas sejam necessárias”.

Essa ideia surgiu de vários estudos nos quais se descobriu que pacientes com depressão tinham quantidades significativamente menores de ômega 3 em seu corpo. Em um dos estudos sobre o assunto, realizado em 1999, mais da metade dos pacientes que consumiram ômega 3 notaram uma redução significativa nos sintomas do transtorno depressivo.

3. Tomate

Pixabay CC

Conforme observado em uma pesquisa de 2007 sobre o folato (ácido fólico ou vitamina B9), “muitos estudos, que datam da década de 1960, mostram uma alta incidência de deficiência de folato em pacientes com depressão”. Como o estudo continua, “cerca de um terço dos pacientes com depressão eram deficientes em folato”.

De acordo com o diretor do estudo, Simon N. Young, da McGill University em Montreal, Canadá, a deficiência de folato está associada à deficiência do ácido 5-hidroxi-indolacético do metabólito da serotonina. Ao administrar folato, esse metabólito retorna ao normal.

Além disso, o folato está envolvido com as quantidades de S-adenosilmetionina. Esta substância, em humanos, funciona como um antidepressivo. Ao comer mais folato, as quantidades dessa substância voltam ao normal.

Por que o tomate é importante nesse cenário? Simples: como cenoura ou brócolis, o tomate é um dos alimentos mais ricos em ácido fólico do mundo. E além de ser saudável, é delicioso.

Pixabay CC

4. Amora
Os alimentos antioxidantes como as amoras, framboesas e/ou frutas cítricas são carregados de vitamina C e vitamina E. E um estudo realizado na Índia em 2012 descobriu que, depois de um aumento de vitaminas A, C e E e aumentado o nível de antioxidantes, houve “uma redução significativa no índice de ansiedade e depressão dos voluntários”.

Veja íntegra no Portal N10

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: