Acompanhados de embaixador, Israelenses desembarcam por volta das 22h

Educa

Em menos de quatro horas, mais de 130 soldados e oficiais das Forças de Defesa de Israel (FDI) desembarcam no Aeroporto Internacional de Confins, em Belo Horizonte, de onde seguirão para as proximidades de Brumadinho (MG). Em nota divulgada hoje (27), o Exército israelense afirmou que o principal objetivo da delegação é localizar e resgatar pessoas desaparecidas na região.

O grupo liderado pelo coronel Golan Vach, da Unidade Nacional de Busca e Resgate no Comando de Frente Interno de Israel, inclui engenheiros especialistas, médicos, equipes de busca e resgate, bombeiros, soldados da unidade de missões submarinas da Marinha Israelense (YALTAM 707), representantes do Ministério das Relações Exteriores e o Embaixador de Israel no Brasil, Yossi Sheli. A delegação desembarca por volta das 22h.

O envio da equipe com equipamentos avançados de localização de celulares, radares submarinos e aviões foi confirmado pelo primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. O premier ligou diretamente para o presidente Jair Bolsonaro na tarde de ontem (27), depois do sobrevoo na área atingida após o rompimento de uma barragem de contenção rejeitos da mineradora Vale, em Brumadinho (MG).

Ao falar em nome do presidente Bolsonaro, internado para exames pré-operatórios em São Paulo, o porta voz do Planalto, Otávio Santana do Rêgo Barros, destacou o agradecimento brasileiro ao reforço dos trabalhos de resgate em Brumadinho.

“São cerca de 150 homens e mulheres além de equipamentos para reforçar a importante missão em Brumadinho. O presidente pediu para destacar o imediato apoio do primeiro ministro Netanyahu”, destacou o general.

A delegação chega ainda com vacinas e equipamentos médicos. De acordo com a assessoria do Exército de Israel, ainda não há informações sobre as estratégias a serem utilizadas em Minas Gerais.

As FDI e o Estado de Israel continuarão a ajudar com sua experiência e capacidade nas casualidades de qualquer desastre em toda parte do mundo. A iniciativa israelense envolve trabalhos de apoio a diversos países vítimas de desastres desde 1953. A ajuda enviada ao Brasil é o dobro da destinada ao México, em decorrência do terremoto de 2017.

De acordo com a assessoria do grupo, 27 missões humanitárias foram enviadas em todo o mundo, desde atendimento a refugiados de guerra, como o que ocorreu em 1975, quando as equipes atuaram no atendimento a refugiados da guerra entre o Vietnã e o Camboja, até resgate de feridos e mortos de fenômenos como o terremoto atingiu o Nepal, matando mais de 2 mil pessoas e ferindo mais de 4,7 mil pessoas em 2015.

EBC

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.