Projeto no Mato Grosso consegue diminuir trotes para serviços de emergência

Educa

Sabe aquelas brincadeiras de mau gosto? Que não tem graça nenhuma? Exemplos delas são os trotes a serviços de emergência, como o Samu.

Enquanto alguém está ligando para passar um falso pedido de socorro, outra pessoa pode estar realmente precisando de ajuda e não consegue ser atendida. Sem falar quando há deslocamento de ambulâncias para locais onde nada está acontecendo. É um desperdício de tempo, de dinheiro público e pode custar uma vida.

Em Mato Grosso, por exemplo, de janeiro a fevereiro deste ano, o Samu recebeu 3.447 trotes, o que dá uma média diária de 58 ligações falsas. A maioria é feita por crianças e adolescentes.

A conscientização sobre a importância do serviço prestado pelo Samu, por meio do Projeto Samuzinho, é a forma que a unidade encontrou para diminuir a prática dos trotes.

Segundo a superintendente do Samu em Mato Grosso, Valéria Cristina da Silva, o trabalho já refletiu na redução de trotes este ano.

No período de carnaval, por exemplo, foram registradas 277 ligações falsas, 533 a menos em relação ao ano passado.

Em alguns estados, como Rondônia, há punição para quem for pego passando trotes a serviços de emergência. Uma lei estadual de 2016 prevê multa de R$1 mil reais para cada chamada falsa e o dinheiro deve ir para o serviço.

Mas, a medida não está intimidando a prática.

Segundo a gerente do Samu de Porto Velho, Marta Cavalcante, no primeiro bimestre deste foram mais de 700 trotes. Em todo o ano passado, quase três mil. Além disso, ela explica que existe toda uma burocracia para a polícia identificar o autor da ligação.

A reportagem não conseguiu contato com a Polícia Civil de Rondônia. Enquanto essa questão burocrática não se resolve no Estado, a gerente do Samu informou que neste ano a unidade vai retomar o projeto Samuzinho, assim como é feito em Mato Grosso.

O número do SAMU é o 192 e o serviço funciona todos os dias, 24 horas.

A ligação é gratuita e pode ser feita de um telefone público, fixo ou celular para atendimentos de emergência de saúde.

EBC

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: