Educa

Em 2018, 73% dos turistas em Macapá foram homens e 27% mulheres, revela censo

Educa

Os dados foram divulgados na terça-feira, 23, pelo Instituto Municipal de Turismo (Macapatur), durante apresentação do Censo do Turismo de Macapá 2018. O levantamento coletou informações de 34 meios de hospedagens, além de agências de viagens, companhias aéreas e restaurantes. A pesquisa buscou identificar, quantificar e levantar o potencial do mercado de turismo na capital, avaliar sua infraestrutura, as condições em que os estabelecimentos se encontram, descrevendo suas características, capacidade de atendimento, serviços e principais necessidades, bem como sua importância para a economia local.

Dentre os dados coletados destacou o gênero dos hóspedes. Foram 73% de homens e 27% mulheres. Sendo que em 2015 o mesmo levantamento registrou 63% homens e 37% mulheres. O censo ainda demostrou que em 2018 a faixa etária dos hóspedes era de 34,3% de pessoas entre 31 a 45 anos, seguidos de 27,7% de pessoas de 19 a 30 anos. “Essas informações são para o setor de hotelaria, elas podem ajudar a potencializar o mesmo. Percebemos que os hóspedes são, em sua maioria, homens e que vêm a negócios em Macapá. Além disso, o censo demostrou que a maioria dos hotéis não disponibiliza alimentação. Isso é uma forma de fazer apontamentos aos meios e fomentar o setor”, destacou o diretor-presidente do Macapatur, Paulo Brito.

O censo foi a terceira pesquisa ampliada no mercado de turismo e hospitalidade de Macapá, referente ao ano de 2018, especificamente nas atividades de: Meios de hospedagens (ampliada); Economia do turismo; Transporte aéreo e Alimentação fora do lar. Os dados mostram ainda que a localização dos meios de hospedagens em Macapá foi descentralizada e que houve um aumento do número de hotéis, pousadas, hostel e balneários. A pesquisa revelou a condição do imóvel, tipo de administração, tempo de atividade dos meios de hospedagens, forma de pagamento, meses e dias de maior ocupação, origem dos hóspedes. Ainda foi possível avaliar equipamentos e serviços, preço médio da diária, índice de satisfação do negócio, dificuldades enfrentadas, capacidade de mão de obra, qualidade e quantidade das refeições oferecidas, motivo da viagem, capacidade hoteleira e análise da alimentação fora do lar.

“Pontuamos os dados da publicidade dos setores e analisaremos para fomentar políticas para ajudar os meios e potencializar e estimular o setor em Macapá”, disse o diretor. A pesquisa censitária foi conduzida por pesquisadores capacitados, por meio de coleta de dados primários, aplicando-se entrevistas face a face aos responsáveis de todos os meios de hospedagens de Macapá, com questionários do tipo estruturado. O censo foi organizado pelo trade turístico do Amapá, com a colaboração da Prefeitura de Macapá, Sindicato de Empresas de Meios de Hospedagens do Estado do Amapá (Sindhóteis), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e a Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais do Turismo (ABBTUR).

A equipe técnica da pesquisa foi coordenada pelo turismólogo Sandro Belo Barriga, junto com os recenseadores Cleicy Miranda, Fabiana Lacerda, Ana Cláudia Monteiro, Alessandra Nunes, a administradora Carla Gibson, a assistente Hilda Telles de Sousa Lima e a internacionalista Camila Lima dos Santos.

Cássia Lima

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.