AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Indicadores de Cultura 2007-2018: Setor cultural amapaense ocupava 10 mil pessoas em 2018

O setor cultural amapaense ocupava, em 2018, 10 mil pessoas, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), representando 3,4% do total de ocupados no Amapá. Mais da metade eram homens (50,4%), pessoas de cor ou raça preta ou parda (81,9%). Além disso, se comparado ao total das ocupações, o percentual daqueles com nível superior era menor (8,4% no setor cultural ante 22,4% no total de ocupados).

Entre 2014 e 2018, houve aumento da informalidade no setor cultural, representada por empregados e trabalhadores domésticos sem carteira, trabalhadores por conta própria e empregadores que não contribuem para a previdência social, além de trabalhadores familiares auxiliares, passando de 57,1% em 2014 para 75,4% em 2018.

Crianças com até 14 anos também se mostraram mais suscetíveis em relação aos outros grupos etários no acesso a museus (28,3%), teatros ou salas de espetáculos (28,3%) e cinemas (43%).

O gasto médio mensal familiar com atividades culturais atingiu R$ 250,08 em 2017-2018 no Amapá, o que representava 6,9% das suas despesas.

É o que mostra o Sistema de Informações e Indicadores Culturais (SIIC) 2007-2018, estudo que, em sua quarta edição, consolida informações de diferentes pesquisas do IBGE, inovando na construção de indicadores relacionados ao setor cultural.

Acesse em <https://www.ibge.gov.br/estatisticas/multidominio/cultura-recreacao-e-esporte/9388-indicadores-culturais.html?=&t=o-que-e >.

A publicação mostra também que, entre 2007 e 2017, o número de unidades locais de organizações que atuavam em atividades consideradas culturais caiu de 486 para 391 (-95 unidades).

O total captado pela Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet) decresceu 79% (sem contar a inflação) entre 2011 e 2018.

Atividades culturais tinham 391 unidades locais e 1.918 ocupados

Segundo o Cadastro Central de Empresas, em 2007, havia 486 unidades locais de organizações formalmente constituídas (setor público, privado e terceiro setor) em atividades culturais. Em 2017, 391 atuavam nas atividades consideradas como culturais, ocupavam 1.918 pessoas.

Em 2007, o salário médio real das atividades culturais era de R$ 1.207. Em 2017, o salário médio das atividades culturais passou para R$ 1.799. Entre 2007 e 2017, o salário médio mensal das atividades culturais variou, em termos reais, 49,1% (valores de 2007 deflacionados pelo INPC de 2017).

Entre as despesas das famílias com cultura, o grupo de serviços de telefonia, TV por assinatura e Internet é o que individualmente tem os maiores valores (R$ 164,37). Os outros dois grupos de maior peso na composição da despesa de consumo média são atividade de cultura, lazer e festas (R$ 30) e aquisição de eletrodomésticos (R$ 24,69). A participação na estrutura de gastos destes três grupos representa 87,6% do total das despesas com cultura para o total Amapá.

Joel Lima da Silva
Supervisor de Disseminação de Informações
Unidade Estadual do do IBGE no Amapá

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: