Polícia procura em cisternas de condomínio arma que matou Marielle

Carregador de pistola e munições foram achados, mas a arma, não

Agentes da Polícia Civil do Rio de Janeiro e integrantes do Ministério Público (MP) realizaram inspeção em cisternas de um condomínio em Jacarepaguá, na zona oeste da cidade, território com forte presença miliciana. O objetivo era checar informações da possível localização da arma usada na morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Mergulhadores inspecionaram 27 cisternas do local, mas a arma não foi encontrada.

Durante a ação, os policias apreenderam munições e carregador de pistola. Um carro de luxo foi levado para verificação e perícia. A operação foi realizada na manhã desta quarta-feira (12).

Veja também:

Líder do governo é designado relator do processo de Selma Arruda

Geração de energia solar deve ganhar marco regulatório no país

Marielle e Anderson foram mortos na noite de 14 de março de 2018, em uma emboscada no centro do Rio, quando um carro emparelhou com o veículo em que ambos estavam, e um atirador fez 13 disparos.

Duas pessoas estão presas pelo crime: os ex-policiais militares Élcio Queiroz e Ronnie Lessa, mas, até hoje, não se conhecem nem os motivos, nem os mandantes do crime.

EBC

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: