AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Saiba como amamentar seu bebê corretamente desde o primeiro dia

A amamentação é um dos maiores desafios enfrentados na maternidade. Na expectativa pode até parecer instintivo e naturalmente fácil para o bebê que recém chegou e para uma mamãe de primeira viagem. Acontece que na realidade há um bebê que precisa sugar para se nutrir e se acalmar, e uma mãe com as emoções à flor da pele e uma grande responsabilidade em seus braços. 

No Brasil, apenas 45% dos bebês menores de seis meses recebem leite materno exclusivo. Muitas vezes, a falta de informação ou a chuva de palpites que as mulheres recebem, acabam causando diversos problemas nesse momento já delicado e levando ao desmame precoce. O uso da chupeta, ou qualquer outro bico artificial, é um deles. Isso acontece porque o bebê que está aprendendo a sugar no seio se confunde quando outro tipo de bico é oferecido para ele. 

Para isso não acontecer, o Ministério da Saúde recomenda a amamentação em livre demanda, ou seja, oferecer o peito ao bebê sempre que ele quiser, pelo tempo que sentir vontade. Na prática, é esquecer do relógio e dar de mamar sempre que o bebê chorar de fome ou precisar de conforto. Esse estilo de amamentação fortalece o vínculo entre mãe e filho e ainda aumenta a produção de leite. 

A recomendação é que a mãe permita que o bebê esvazie uma mama antes de oferecer a outra. Isso porque o leite inicial tem mais água para matar a sede, e no fim é mais rico em gordura para saciar a fome e proporcionar ganho de peso. Por isso, ao contrário do que se diz, o bebê sempre deve começar pela mama em que mamou por último, para garantir o leite gorduroso que restou e, então, mamar no outro seio. 

Tudo isso influencia na pega correta. Quanto mais o bebê praticar livremente, mais chances ele tem de aprender rapidamente. A pega correta é o que garante o ganho de peso e boa parte do sucesso da amamentação. 

O bebê deve abocanhar a aréola, e não o bico do seio. Outro aspecto importante é ver se o bebê está fazendo boca de peixinho, com os lábios voltados para fora. Ainda, o queixo dele deve encostar no seio materno e o bebê deve ficar com a barriguinha encostada na mãe. O nariz fica livre para respirar e a bochecha enche de leite quando ele suga. 

Além da pega, a posição em que a mãe segura o bebê também facilita ou prejudica a mamada. Por isso, uma poltrona de amamentação pode sim influenciar positivamente no sucesso da mãe e do bebê. Ela oferece o conforto que a mulher precisa nesse momento e favorece que a mãe segure o bebê virado de barriga para seu corpo, posição indicada para essa fase de aprendizado.

Nesse começo, também é fundamental que mãe e bebê contem com um ambiente calmo. É importante que a mulher esteja calma e amparada por uma pessoa bem instruída, como uma consultora de amamentação.

Amamentação em tempos de Covid
Primeiro, vale lembrar que estudos já comprovam que o vírus não é transmitido pelo leite materno. Por esse motivo, é recomendado manter a amamentação mesmo que a mãe teste positivo e o bebê esteja bem. A instrução é que a mãe use a máscara corretamente sempre que estiver com a criança e lave bem as mãos antes de pegar o bebê no colo.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: