AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Yoshiro Mori se desculpa de novo e renuncia por comentários sexistas

Chefe da Olimpíada de Tóquio não resistiu à pressão pública

O chefe da Olimpíada Tóquio 2020, Yoshiro Mori, renunciou nesta sexta-feira (12) e voltou a pedir desculpas por comentários sexistas que desencadearam uma revolta global, obrigando o evento já conturbado a procurar um novo líder a cinco meses da cerimônia de abertura.

A renúncia do ex-primeiro-ministro de 83 anos minará ainda mais a confiança na capacidade dos organizadores de realizar os Jogos de Verão, adiados em um ano, durante a pandemia de coronavírus.

Um comitê de seleção composto por um número igual de homens e mulheres, e centrado em atletas, escolherá um novo presidente, disse o executivo-chefe da Tóquio 2020, Toshiro Muto, em uma coletiva de imprensa após uma reunião de uma comissão de conselheiros.

Ele não disse quando a decisão será tomada, mas que isso tem que acontecer rapidamente e que o candidato deve ter experiência olímpica e entender coisas como diversidade e inclusão.

Entre os candidatos possíveis está a ministra da Olimpíada, Seiko Hashimoto, noticiou a mídia.

Hashimoto, de 56 anos, participou de sete Olimpíadas e é uma parlamentar pioneira. Seu primeiro nome se baseias nas palavras japonesas para ‘chama olímpica’ e ela nasceu pouco dias antes do início da Olimpíada de Tóquio de 1964.

Mori causou furor quando disse que as mulheres falam demais durante uma reunião do comitê olímpico japonês neste mês, provocando um coro de pedidos de demissão. Inicialmente, ele se recusou a renunciar.

Veja também:
Transmissões e jogos online conquistam brasileiros
Revalida: seleção para elaboradores de itens recebe inscrições até 14/02
Projeto Sebrae Delas oferece 120 vagas para empreendedoras de Macapá e Santana

“Meus comentários impróprios causaram muito problema. Peço desculpas”, disse Mori no início de uma reunião de autoridades graduadas do comitê organizador nesta sexta-feira (12), acrescentando que o mais importante é a Olimpíada de Tóquio ser um sucesso.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) disse estar “comprometido como sempre” com a realização dos Jogos, que devem começar em 23 de julho.

“O COI continuará a trabalhar de perto com seu sucessor para realizar os Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020 com segurança e proteção em 2021”, disse o presidente da entidade, Thomas Bach, em um comunicado.

Ontem (11), Mori pediu ao prefeito da Vila Olímpica, Saburo Kawabuchi, de 84 anos, que assumisse o cargo, mas nesta sexta-feira (12) a mídia noticiou que ele recusou o posto em meio à consternação pública com o fato de o possível sucessor ser mais um idoso.

Reuters

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: