PF combate migração ilegal em Macapá

Macapá/AP. A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira, 01/06, a Operação Cruce*, com  o objetivo de combater o crime de migração ilegal. 

A ação ocorreu em Macapá/AP e contou com a participação de 16 policiais federais que cumpriram  um mandado de prisão preventiva, além de outro mandado de busca e apreensão no bairro São  Lázaro, na capital amapaense. 

A operação é fruto de uma denúncia feita diretamente à Polícia Federal, dando conta de que uma  pessoa que trabalha como “pirateira” (faz transporte irregular), no município de Oiapoque/AP,  cooptava estrangeiros, principalmente haitianos, para entrar ilegalmente no Brasil, trazendo-os  para uma residência no bairro São Lázaro, controlada por esta pessoa. 

A investigação identificou que os estrangeiros faziam a rota Haiti/Suriname/Guiana Francesa,  entravam no Brasil pelo Oiapoque/AP e depois vinham até Macapá/AP, onde ficavam hospedados  em um hotel no bairro São Lázaro. O investigado cobrava 500 dólares de cada estrangeiro para  custear a logística de viagem para outros Estados da federação. Só este ano, mais de 30 pessoas  foram identificadas como vítimas da promoção ilegal pelo investigado.  

Neste ano, a Polícia Federal já deflagrou três operações para combater a prática da migração ilegal  no município de Oiapoque/AP, na fronteira com a Guiana Francesa. Foram efetuadas prisões e  apreensões de diversos bens e valores de origem criminosa. Além disso, pessoas que seriam  enviadas ilegalmente para fora do país foram libertadas. 

Eventuais envolvidos poderão responder pelo crime de Promoção de Migração Ilegal, cuja pena  chega a cinco anos de reclusão. 

*Cruce significa travessia em espanhol, língua das pessoas que entravam ilegalmente no Brasil. 

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: