Bolsonaro justifica ausência na Bahia: “Se eu vou, criticam. Se eu não vou, criticam”

Presidente da República explicou que sua ida ao estado implicaria em mais gastos no cartão corporativo

Jair Bolsonaro (PL) tentou justificar sua ausência para prestar solidariedade às vítimas das chuvas na Bahia. Segundo o Presidente da República, sua visita ao estado implicaria em mais gastos no cartão corporativo. “Se eu vou, criticam. Se eu não vou, criticam“, apontou.

Em transmissão ao vivo nas redes sociais, o chefe do executivo acrescentou que os governos Federal e Estadual têm “interagido” desde o início das chuvas e desdenhou da tentativa de ajuda argentina. “Que ajuda é essa? Dez homens”, questionou.

Leia mais: Sobe para 25 o número de mortos por causa das chuvas na Bahia

Apesar da conduta em relação ao país vizinho durante a live, Bolsonaro havia falado sobre o assunto mais cedo em sua conta no Twitter. Na ocasião, ele utilizou um tom mais sereno.

“O fraterno oferecimento argentino, porém muito caro para o Brasil, ocorre quando as Forças Armadas, em coordenação com a Defesa Civil, já estavam prestando aquele tipo de assistência à população afetada”, escreveu.

Por outro lado, o Brasil aceitou a ajuda humanitária vinda do Japão, que enviou diversos materiais para ajudar os desabrigados, como colchonetesbarracascobertoreslonasgalões plásticos e outros.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: