Um ano depois, nenhuma autoridade foi punida pelas mortes por falta de oxigênio no Amazonas

Esta sexta-feira (14) marca exatamente um ano de que foi registrada uma falta de oxigênio no sistema de saúde do Amazonas. Em meio à pandemia e a um surto de Covid-19, dezenas de pessoas foram vitimados pela doença por não terem acesso ao recurso.

Leia mais: Pais que recusarem vacinar seus filhos contra a Covid-19 podem perder guarda da criança

Centenas de pessoas tiveram que ser transferidas às pressas para outros estados. Até o momento, nenhuma autoridade foi responsabilizada ou punida. A cidade mais afetada foi a capital Manaus.

Leia também: Pesquisa aponta Lula com 41% das intenções de voto e Bolsonaro com 24% nas eleições

Na época, o estado registrava recordes de novos casos e mortes por conta do coronavírus e sofria com a cepa P.1 do SARS-CoV-2, chamada de “variante de Manaus”. O Amazonas foi a primeira unidade federativa do país a sentir os efeitos da segunda onda da Covid-19 no Brasil.

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" para ajudar a manter esse site. basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: