‘Entrada do Irã levaria a uma guerra muito maior no Oriente Médio’, afirma professor

Após invasão aérea do Hezbollah em território israelense, possível participação direta do país que financia os grupos terroristas assusta autoridades mundiais

Em meio à maior batalha naval protagonizada pelos Estados Unidos desde a Segunda Guerra Mundial, contra terroristas do Iêmen no Canal de Suez, o grupo terrorista do Líbano, Hezbollah, aproveitou o enfraquecimento da fronteira norte de Israel para entrar no território por meio de drones.

Assim que as filmagens supostamente feitas por meio destes equipamentos foram divulgadas, o ministro de relações exteriores de Israel, Yisrael Katz, afirmou que “existe um plano para atacar o sul do Líbano numa guerra total, que resultaria no fim do Hezbollah”.

Assim, como o grupo terrorista Hamas, os extremistas libaneses também são financiados pelo Irã.

Segundo Vitelio Brustolin, professor de relações internacionais e pesquisador de Harvard, “caso Israel ataque o grupo terrorista Hezbollah, o Irã deve entrar direta ou indiretamente no conflito, levando a uma guerra muito maior no Oriente Médio”.

Via R7

O que você pensa sobre este artigo?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.