Empresa usa árvore do Amapá em perfume

O segundo contrato de exploração comercial da biodiversidade brasileira foi aprovado na semana passada pelo CGEN (Conselho de Gestão do Patrimônio Genético), do Ministério do Meio Ambiente.

O contrato na prática regulariza a exploração que a empresa de cosméticos Natura faz do breu branco (Protium pallidum), uma árvore amazônica, para produzir uma linha de perfumes, com base em contatos feitos com uma comunidade da Reserva Estadual de Desenvolvimento Sustentável do Iratapuru, no Amapá.

O contrato oficializa a repartição dos benefícios com a comunidade.

O primeiro processo do gênero havia sido aprovado em setembro. O conselho também aprovou contratos entre a USP e os índios oiampis, do Amapá, entre a Embrapa e duas tribos do Xingu e entre o IAC e comunidades do vale do Ribeira, em SP.

Com informações da Folha de São Paulo.

Fonte: Jornal da Ciência

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.