AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Justiça do Amapá encerra a 13ª Semana Estadual de Conciliação com a soma de R$ 1.118.731,29 de acordos fechados

A 13ª Semana Estadual da Conciliação encerrou com uma importante somatória de acordos estimados em um total de R$ 1.118.731,29, com números positivos de 266 audiências conciliatórias em todo o Estado.

Envolvidos no propósito de conciliar, as Comarcas que mais obtiveram resultados positivos com as audiências conciliatórias foram Macapá com 170; Laranjal do Jari com 32 e as Comarcas de Santana e Ferreira Gomes que obtiveram o mesmo desempenho, com 16 acordos cada.(Clique aqui e confira o resultado das AUDIÊNCIAS POSITIVAS DA 13ª SEMANA DE CONCILIAÇÃO POR COMARCA).

Em relação às Unidades Judiciárias, as que alcançaram os maiores resultados em soma de acordos fechados foram: Juizado Especial Norte; Juizado da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte e 3ª Vara de Família, Órfãos e Sucessões de Macapá, respectivamente.(Clique aqui e confira o resultado das AUDIÊNCIAS POSITIVAS DA 13ª SEMANA DE CONCILIAÇÃO POR UNIDADE JUDICIÁRIA)

“O cidadão e a cidadã descobriram que o melhor caminho para solução dos litígios não é a via judicial. Nós estamos conseguindo conscientizar a população, através das semanas estaduais de conciliações, que por meio do diálogo e o entendimento, as duas partes sempre ganham. E o principal: a solução é rápida”, ressaltou a presidente do TJAP e presidente do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos da Justiça do Amapá, Desembargadora Sueli Pini.A presidente também destacou que a semente da conciliação foi plantada há alguns anos, tem crescido e vem dando frutos. “Mas esse é um trabalho de paciência e persistência. Não podemos parar. É apenas um começo de um grande sonho, que é de ver pessoas por meio do diálogo resolvendo problemas entre si, sem brigas e sem processos judiciais”, falou a presidente.

As Semanas Estaduais de Conciliação continuam sendo realizadas mensalmente. Sempre na última semana de cada mês.

-Macapá, 31 de março de 2015-

Texto: Kelison Neves

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: