AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Pagamentos de janeiro, fevereiro e março do TFD estão disponíveis nas contas

Os pagamentos de janeiro, fevereiro e março do Programa Tratamento Fora de Domicílio estão disponíveis nas contas dos beneficiários desde o dia 25 de março. Os valores são referentes a 9 lotes de numerações de 5 a 13, contemplando 25 usuários cada. O programa teve o pagamento atrasado por cinco meses no ano passado, os quais foram quitados emergencialmente na atual gestão.

Caso o usuário não saiba em qual lote está inserido, ele precisa se dirigir até a unidade do PTFD, na Avenida Mendonça Furtado, 1266, no Centro, e obter a informação.

O programa, um dos maiores do Governo do Estado, atende diariamente cerca de 80 pessoas, com casos de média e alta complexidade. "Estamos avançando com o programa, liberando passagens e consultas, mesmo com muitas demandas diárias. Os pagamentos estão sendo atualizados, dando prioridade aos mais antigos e urgentes. Tínhamos processos sem pagamentos há mais de três anos", disse Iraciara Pontes, gerente geral do PTFD.

O pagamento pode ser sacado até em 30 dias. Não ocorrendo o saque, o valor é devolvido à Secretaria de Estado da Saúde e o paciente precisa fazer uma justificativa acerca do estorno.

O PTFD beneficia pacientes portadores de doenças não tratáveis no Estado de origem, por falta de condições técnicas, e oferece consultas, tratamento ambulatorial, hospitalar/cirúrgico, passagens, ajuda de custo e hospedagem. Para obter o tratamento, é preciso laudo médico, pedido de tratamento fora de domicílio (PTFD), xérox de exames, xérox de Certidão de Nascimento ou Carteira de Identidade e xérox da Carteira de Identidade do acompanhante, se houver.

O laudo é encaminhado à coordenação do TFD, que é avaliado por equipe médica especializada. "É importante frisar que muitos casos surgem reclamações por falta de pagamentos, pois o laudo realizado pelo médico da outra cidade, chamado contra-referência, não chega ao TFD, ou quando chega, vem incompleto. Assim, fica difícil comprovar que o paciente está mesmo em tratamento", esclareceu Iraciara.

Para facilitar e prestar os esclarecimentos necessários, o programa vai oferecer junto à entrega de passagens, cartilhas informativas sobre os procedimentos que os pacientes precisam realizar. "Também estamos informamos previamente para não haver mais complicações, gerando possível falta de pagamento", reforçou Renilda Barros, gerente financeira do programa.

O PTFD está trabalhando também para agilizar o pagamento da complementação financeira, que é o valor adicional dos oito primeiros dias que o paciente tem direito. "A pessoa viaja com as oito primeiras diárias, que consistem no valor do deslocamento, no montante de 396 reais, mais um acompanhante. Se ficar mais de oito dias, agilizamos a complementação financeira", observou Barros, acrescentando que "isso ocorre com o envio de laudo comprovando que o paciente está em tratamento".

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: