Gestores do Viveiro do Bailique elaboram plano de negócios para cinco anos

Educa

Os gestores do Viveiro Florestal do Arraiol do Bailique, localizado no arquipélago do Bailique, em Macapá (AP), participaram do treinamento de ferramentas gerenciais e comunicação, como parte da elaboração do Plano de Negócios do empreendimento gerenciado pelos extrativistas. A capacitação foi realizada no Sebrae Amapá e contou com a presenças dos responsáveis pela operação, administração e finanças, comercialização e comunicação do Viveiro. O Bailique está localizado na foz do rio Amazonas, é formado por oito ilhas onde residem cerca de dez mil pessoas distribuídas em 51 comunidades. Uma delas é a comunidade Arraiol do Bailique, onde residem 16 famílias.

Consultores empresariais e a pesquisadora Ana Euler, da Embrapa Amapá, conduziram uma metodologia participativa para capacitar os gestores do Viveiro na definição do calendário de ações dos próximos cinco anos. O plano de negócios e comunicação do Viveiro do Arraiol do Bailique faz parte do “Projeto Semear: Produção de Sementes Florestais e Crioulas em Comunidades Tradicionais do Bailique”, executado em parceria da Embrapa com o Ministério do Meio Ambiente (MMA). Os participantes também fizeram uma visita ao Campo Experimental da Embrapa em Fazendinha, guiada pelo assistente Paulo André da Silva, onde conheceram o Viveiro de Mudas, técnicas para produção de adubo orgânico por meio de composteira, biofertilizantes e minhocário, e assistiram a uma palestra do pesquisador Silas Mochiutti, sobre a produção de mudas de açaí e a ecologia do açaí branco.

O evento foi aberto pela pesquisadora Ana Euler, líder do Projeto Semear. Em seguida, o consultor Carlos Eduardo Dias, da empresa Nuance, explicou que o objetivo principal era construir o calendário das ações do plano de negócios contemplando a capacitação em ferramentas de gestão e comunicação. A definição do foco do negócio, assim como da missão, visão e valores foi feita de forma participativa com os gestores do viveiro. A consultora Geovana Cabral explicou que a missão é a razão da existência do empreendimento e, por sua vez, quando bem explicitada contribui para uma logomarca sincronizada com os princípios do negócio. O designer designer Mau Santos conduziu a oficina de escolha da logomarca do viveiro, enfocando a importância da administração da imagem corporativa do viveiro, o uso correto da marca, conteúdos adequados para serem postados nas redes sociais. Uma parte da programação foi dedicada às dicas de como criar a fanpage do Viveiro Florestal na rede social Facebook e minioficinas de como captar imagens de qualidade utilizando celulares smartphones, conduzida pelo designer Mau Santos e pela fotógrafa Márcia do Carmo; e de uso do rádio para divulgação e comercialização dos produtos do viveiro, com as jornalistas Ana Girlene e Dulcivânia Freitas. Esta etapa de implementação do plano de negócios participativo deu sequencia à oficina realizada em 2016, no Bailique, envolvendo a Embrapa, Associação das Comunidades Tradicionais do Bailique (ACTB), Grupo de Trabalho Amazônico (GTA), Sebrae Amapá e IIEB, contando com 27 participantes. Contatos do Viveiro do Bailique: E-mail: [email protected] e WhatsApp: 96-98104-8379.

Gestores do Viveiro Florestal do Bailique:

Administração e Finanças: Samuel Figueiredo Barbosa, Wanderson dos Santos Sarges, Manoel Miracy Filho.

Comercial: Diana Lopes de Araújo e Elda Castro Costa.

Comunicação: Inesiane Machado Lopes e Daiane Machado Lopes.

Operação: Dimauro Cordeiro Lopes, Alex dos Santos Lopes, Antônio Cordeiro Lopes.

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.