Reserva do Iratapuru: um dos paraísos amazônicos sob ameaça de extinção

por Lívia Almeida*

Seu Arraia, uma das lideranças da comunidade.

Com uma área de 806.184 hectares, indo do oeste do Amapá até o norte do Pará, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Iratapuru foi criada no ano de 1997. Esta é uma das reservas que compõem a área que compreende a Reserva Nacional do Cobre e Associados – RENCA.

Assim como as demais áreas, a Reserva do Iratapuru é dotada de uma beleza tipicamente amazônida, onde se misturam espécies de açaizais e castanheiras. Na área que abrange o Amapá, no município de Laranjal do Jari, parte da reserva já foi destruída com a instalação da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio.

O local é conhecido também devido a um contrato com a empresa de cosméticos Natura, onde os moradores trabalham em uma fábrica de beneficiamento de castanha, feito de forma sustentável, para produção de produtos de beleza.

Antes:

  • Em meio à floresta, cerca de 50 a 60 famílias viviam em comunidade, retirando do lugar o que precisavam para viver e se sustentar, através da pesca e da caça;
  • Existia grande variedade de peixes, devido à água corrente que desaguava em várias corredeiras e na Cachoeira de Santo Antônio;
  • Árvores e frutos em abundância;
  • Abastecimento de energia elétrica feito através de gerador, até à meia noite.

Depois:

De acordo com os próprios moradores, após a instalação da hidrelétrica passaram a existir vários problemas, muitos deles em consequência do não cumprimento do acordo ambiental por parte da empresa responsável pela usina. As consequências foram:

  • Construção de uma Vila sem arborização;
  • A vila não possui energia elétrica;
  • Falta de saneamento básico;
  • A maioria das cachoeiras (incluindo a maior) desapareceram;
  • Perdeu-se a variedade de peixes;
  • Algumas famílias abandonaram o local por falta destas condições;
  • Grande impacto na cultura e no modo de vida da comunidade.

Consequências

Agora imagine o que será feito deste lugar se houver a extração de minério? As famílias terão que sair do local? Vão perder seu sustento? Seu modo de vida?

Impacto Ambiental

  • Poluição/contaminação dos rios já que essa área encontra-se nas cabeceiras dos rios que desaguam na comunidade;
  • Redução da biodiversidade que pode afetar a população de castanhais principal fonte de renda da comunidade.

Impactos Sociais

  • Aumento desordenado da população e pressão sobre recursos pesqueiros;
  • Empregar mão de obra da cooperativa e afastamento da atividade principal (extrativismo).

 

Colaboraram para este post:

Eudimar Viana
(filho de moradores da Reserva)

Chico Terra
(fotos da Reserva antes da instalação da hidrelétrica)

*Jornalista e Editora do blog ChicoTerra.com

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.