Unilever ameaça parar de anunciar em redes sociais se conteúdo tóxico permanecer

Uma das maiores anunciantes da internet, a Unilever, está ameaçando parar de pagar por publicidade em redes sociais caso elas sigam permitindo a propagação de conteúdos tóxicos, incluindo notícias falsas, apologia a terrorismo e exploração infantil. A Unilever é dona de várias marcas de alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal e cosméticos.

De acordo com o CEO da companhia, Keith Weed, “é fundamental que nossas marcas permaneçam não apenas em um ambiente seguro, mas adequado”, sendo que “a Unilever, como anunciante confiável, não quer anunciar em plataformas que não contribuam positivamente para a sociedade”.

A empresa entende que os consumidores se preocupam com coisas como práticas fraudulentas, fake news e manipulação de informações, sendo sensíveis às marcas que consomem. Dessa maneira, se uma marca tiver um anúncio posicionado ao lado de algo considerado negativo, sua imagem acaba sendo afetada.

E o alcance gigantesco de plataformas como Facebook e YouTube faz com que esses conteúdos considerados tóxicos sejam disseminados em grandes dimensões, fazendo com que as companhias que administram esses serviços precisem tomar medidas para que os conteúdos ali publicados sejam não somente genuínos, como bem-intencionados. Do contrário, acabarão perdendo receita com publicidade, caso a Unilever leve adiante sua ameaça, arriscando inspirar outras grandes marcas a fazerem o mesmo.

Veja íntegra no Canaltech

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.