Justiça faz audiência sobre impactos da hidrelétrica de Tucuruí em terra indígena paraense

A Justiça Federal realizou, nesta sexta-feira, audiência na terra indígena Trocará, em Tucuruí, no Pará. Esta foi a primeira vez que a comunidade foi ouvida no processo que tramita há oito anos.

Na ação, o Ministério Público Federal do Pará pede compensação e reparação por parte da Eletronorte pelos danos sofridos pela etnia Assurini com a construção da usina hidrelétrica de Tucuruí, no final da década de 1970. Entre os pedidos estão obras de saneamento básico nas comunidades atingidas e uma indenização em dinheiro.

Na audiência, segundo o MPF, a liderança Pirá Assurini relatou que na época da construção do empreendimento os indígenas ouviram explosões. Áreas foram inundadas e houve perda das produções de castanha, mandioca, milho e boa parte do seringal que ficava na beira do rio. Pirá destacou ainda que seu povo nunca conseguiu recuperar o que foi perdido e que os impactos continuam.

A Procuradora da República Thais Ruiz afirma que fatos graves relatados pelos indígenas na audiência ainda não constavam nos autos do processo.

A Eletronorte também foi ouvida durante a audiência. De acordo com informações do Ministério Público Federal, o advogado Bernardo Fosco disse que a empresa não se nega a dialogar com os indígenas, mas admitiu que as incertezas provocadas pela crise econômica do país, assim como a possível privatização da estatal, dificultam o avanço das propostas de compensação.

Ainda na audiência, comunidade indígena e Eletronorte apresentaram propostas diferentes para uma conciliação. Diante impasse, o juiz Hugo Frazão criou uma comissão, com a participação das partes interessadas, além de pesquisadores e representantes de várias instituições.

O grupo terá até o final do primeiro semestre de 2018 para apresentar uma proposta independentemente de compensação, que agregue elementos das duas sugeridas.

Também são destaques do Repórter Amazônia desta sexta-feira (04):

-Campanha Nacional de combate ao sub-registro de nascimento é lançada no Pará

-Mais de 2.700 mulheres procuraram delegacia especializada no ano passado em Mato Grosso

-Comerciantes do Tocantins têm expectativa de aumento nas vendas para o Dia das Mães

-Exposição em Belém aborda o uso da tecnologia na arte

EBC

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.