SOS Mulher: prefeitura e MP lançam plataforma digital de ajuda à mulher em situação de violência ou risco

Foi lançado na tarde de quarta-feira, 9, pela Prefeitura de Macapá e Ministério Público do Estado (MPE), o aplicativo SOS Mulher para auxiliar mulheres em situação de violência ou risco. A plataforma digital foi desenvolvida pelo Departamento de Tecnologia do MPE, juntamente com a Coordenadoria Municipal de Políticas para as Mulheres (CMPPM), e poderá ser utilizada por qualquer mulher que se encontre em situação de risco de violência.

 

“O aplicativo vem de uma necessidade da comunidade. No último ano, foram mais de 2 mil ocorrências e este ano já chegamos a cerca de 1.500. Diante dos dados, identificamos que necessitávamos de um mecanismo para acionar mais facilmente tanto as instituições responsáveis quanto familiares e amigos que possam ajudar essas mulheres em situação de violência, e aí surgiu o aplicativo, uma maneira fácil e acessível para que elas possam se comunicar com um simples toque e acionar as pessoas que possam ir ao seu auxílio nessas situações”, explicou o prefeito Clécio.

 

De acordo com o procurador-geral de Justiça do Amapá, Márcio Augusto Alves, a ferramenta digital busca servir como um botão do pânico e proporcionar agilidade e eficiência no enfrentamento da violência não somente contra a mulher, mas a toda sociedade que necessitar de auxílio nessas situações. “Esse é um meio de fortalecimento e enfrentamento à violência, não só para as mulheres, mas para homens, jovens, crianças e toda e qualquer pessoa que esteja em situação de risco ou próximo, que poderá acionar com um simples click o aplicativo e chamar aquelas pessoas de sua confiança, para que percebam que aquela pessoa precisa de ajuda, dando a localização exata da vítima de violência e facilitando o auxílio mais imediato”, ressaltou.

 

O prefeito Clécio enfatizou também que o aplicativo é apenas o início de longo trabalho na efetivação de políticas públicas contra a violência. “Essa ferramenta é, para nós, a possibilidade de efetivação de uma política pública de proteção e de combate à violência contra a mulher, porém, acreditamos que vai muito além disso. É um aplicativo que depois poderá gerar serviços e possibilidades não só de combate à violência, mas também educativo, e de cultivo à cultura da paz”, destacou.

 

A ferramenta já está disponível nos sistemas Android, IOS e Windows Phofe, e pode ser baixado por qualquer pessoa. De maneira muito simples, o cadastro na plataforma dará a oportunidade para que a mulher estabeleça também uma rede de diálogo com outras usuárias, onde poderão dividir relatos e fornecer apoio umas às outras, podendo os relatos serem feitos de forma anônima ou não, tudo de acordo com as necessidades das usuárias. A plataforma também contará com informações que guiarão a vítima na hora de procurar órgãos de apoio, além de contar com área de chat para compartilhamento de relatos anônimos ou identificados daquelas que buscam apoio e espaço de voz, tudo funcionando 24 horas por dia.

 

Além dos serviços de apoio e segurança, o objetivo do aplicativo é salvar vidas, humanizar o acolhimento e fornecer apoio às mulheres que passam por situação de violência doméstica. A promotora de Justiça de Defesa da Mulher, Alessandra Moro, parabenizou as instituições pela criação do aplicativo. “Sem dúvida, essa é uma ferramenta importantíssima que contribuirá para a nossa luta para reduzir a violência familiar e doméstica contra a mulher em nosso estado. Tenho certeza que ele será mais um aliado no nosso enfrentamento a essa violência, nos ajudando a salvar várias vidas”.

 

Estiveram presentes na cerimônia de lançamento o promotor de Justiça, Roberto Álvares, a promotora de Justiça do Núcleo de Inteligência do MPE, Andrea Guedes, o gerente do MP Comunitário, José Vilas Boas, a secretária extraordinária de Políticas Públicas para as Mulheres, Wellen Azevedo e a coordenadora municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Anne Pariz.

 

Karla Marques

Foi lançado na tarde de quarta-feira, 9, pela Prefeitura de Macapá e Ministério Público do Estado (MPE), o aplicativo SOS Mulher para auxiliar mulheres em situação de violência ou risco. A plataforma digital foi desenvolvida pelo Departamento de Tecnologia do MPE, juntamente com a Coordenadoria Municipal de Políticas para as Mulheres (CMPPM), e poderá ser utilizada por qualquer mulher que se encontre em situação de risco de violência.

 

“O aplicativo vem de uma necessidade da comunidade. No último ano, foram mais de 2 mil ocorrências e este ano já chegamos a cerca de 1.500. Diante dos dados, identificamos que necessitávamos de um mecanismo para acionar mais facilmente tanto as instituições responsáveis quanto familiares e amigos que possam ajudar essas mulheres em situação de violência, e aí surgiu o aplicativo, uma maneira fácil e acessível para que elas possam se comunicar com um simples toque e acionar as pessoas que possam ir ao seu auxílio nessas situações”, explicou o prefeito Clécio.

 

De acordo com o procurador-geral de Justiça do Amapá, Márcio Augusto Alves, a ferramenta digital busca servir como um botão do pânico e proporcionar agilidade e eficiência no enfrentamento da violência não somente contra a mulher, mas a toda sociedade que necessitar de auxílio nessas situações. “Esse é um meio de fortalecimento e enfrentamento à violência, não só para as mulheres, mas para homens, jovens, crianças e toda e qualquer pessoa que esteja em situação de risco ou próximo, que poderá acionar com um simples click o aplicativo e chamar aquelas pessoas de sua confiança, para que percebam que aquela pessoa precisa de ajuda, dando a localização exata da vítima de violência e facilitando o auxílio mais imediato”, ressaltou.

 

O prefeito Clécio enfatizou também que o aplicativo é apenas o início de longo trabalho na efetivação de políticas públicas contra a violência. “Essa ferramenta é, para nós, a possibilidade de efetivação de uma política pública de proteção e de combate à violência contra a mulher, porém, acreditamos que vai muito além disso. É um aplicativo que depois poderá gerar serviços e possibilidades não só de combate à violência, mas também educativo, e de cultivo à cultura da paz”, destacou.

 

A ferramenta já está disponível nos sistemas Android, IOS e Windows Phofe, e pode ser baixado por qualquer pessoa. De maneira muito simples, o cadastro na plataforma dará a oportunidade para que a mulher estabeleça também uma rede de diálogo com outras usuárias, onde poderão dividir relatos e fornecer apoio umas às outras, podendo os relatos serem feitos de forma anônima ou não, tudo de acordo com as necessidades das usuárias. A plataforma também contará com informações que guiarão a vítima na hora de procurar órgãos de apoio, além de contar com área de chat para compartilhamento de relatos anônimos ou identificados daquelas que buscam apoio e espaço de voz, tudo funcionando 24 horas por dia.

 

Além dos serviços de apoio e segurança, o objetivo do aplicativo é salvar vidas, humanizar o acolhimento e fornecer apoio às mulheres que passam por situação de violência doméstica. A promotora de Justiça de Defesa da Mulher, Alessandra Moro, parabenizou as instituições pela criação do aplicativo. “Sem dúvida, essa é uma ferramenta importantíssima que contribuirá para a nossa luta para reduzir a violência familiar e doméstica contra a mulher em nosso estado. Tenho certeza que ele será mais um aliado no nosso enfrentamento a essa violência, nos ajudando a salvar várias vidas”.

 

Estiveram presentes na cerimônia de lançamento o promotor de Justiça, Roberto Álvares, a promotora de Justiça do Núcleo de Inteligência do MPE, Andrea Guedes, o gerente do MP Comunitário, José Vilas Boas, a secretária extraordinária de Políticas Públicas para as Mulheres, Wellen Azevedo e a coordenadora municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Anne Pariz.

 

Karla Marques

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.