Cientista australiano de 104 anos morre na Suíça por suicídio assistido

Goodall não tinha nenhuma doença terminal, mas considerava que sua qualidade de vida havia piorado e desejava morrer

David Goodall, o cientista australiano de 104 anos que viajou à Suíça para recorrer à eutanásia, morreu nesta quinta-feira na Basileia, ao cometer suicídio assistido, uma possibilidade negada em seu país.

“Às 12h30 de hoje, o professor David Goodall, de 104 anos, morreu em paz na Basileia, com uma injeção de Nembutal”, um barbitúrico, escreveu no Twitter o médico Philip Nitschke, da Fundação Exit International.

Goodall não tinha nenhuma doença terminal, mas considerava que sua qualidade de vida havia piorado e desejava morrer.

No início, ele solicitou, sem sucesso, às autoridades australianas que permitissem o suicídio assistido. Então decidiu viajar à Suíça, onde várias fundações oferecem o serviço.

“Preferia morrer na Austrália e lamento muito que a Austrália esteja atrasada em relação à Suíça nesta questão”, afirmou à imprensa na quarta-feira em um hotel.

“Não quero continuar vivendo”, disse.

Saiba mais no Estado de Minas

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: