Rússia: roteiro pelas 11 cidades-sede da Copa 2018

Um guia com os passeios essenciais e dicas de como se virar nas cidades russas durante (ou depois) do mundial de futebol

Caio Vilela

Em pleno verão europeu, a maior nação territorial do mundo se prepara para receber turistas de todos os cantos com muita arte, arquitetura, história, vodca no copo e bola na rede. Saiba o que ver e fazer nas 11 cidades-sede da Copa 2018

1. Moscou

Cosmopolita mas segura como poucas capitais da geopolítica atual, Moscou vive uma fase acesa e pulsante com a Copa e tantos eventos de verão. Desembarcar em qualquer dos três aeroportos internacionais e chegar ao Centro pelo moderno trem Aeroexpress, em uma hora, traz um sentimento de civilidade e comunhão entre locais e visitantes.

Moscou adentro, em que cidade do mundo há um metrô Dmitri Mendeleev, com luminárias que remetem a gigantescas moléculas, homenagem ao criador da tabela periódica? Ou um foguete estacionado como monumento em pleno passeio público?

Os domos coloridos das igrejas ortodoxas, a arquitetura socialista e os marcos do comunismo passam pela janela enquanto o silencioso poezda (trem) cruza o plano urbano generoso e elegante. A urbe que inspirou peças de Tchaikovski, a literatura de Tchekov, pintores e dramaturgos, hoje ambienta um movimento de arte moderna internacional sem perder o status de meca do balé clássico, da ginástica olímpica e de outras artes performáticas.

Coração histórico, geográfico e espiritual da cultura russa, o complexo arquitetônico do Kremlin e a Praça Vermelha merecem a atenção de quem tem apenas um dia na cidade. Palco de execuções e coroações desde o século 15, o grande largo é aberto para pedestres, protestos e eventos de todos os portes (Paul McCartney fez um show aberto aqui em 2003).

Sob a sombra das icônicas cúpulas da Catedral de São Basílio, o tráfego de turistas é intenso o dia todo – chegue cedo para ver o Mausoléu De Lenin, caminhar pela praça e visitar o Museu do Kremlin (10h às 17h; fecha na 5ª).

Para quem tem dois dias ou mais, sair dos arredores da Praça Vermelha é fundamental para vivenciar o espírito moscovita. Dois dos melhores lugares para sentir essa vibe são os passeios nos parques Gorki e Vdnh, disneylândias da cultura e do povo soviéticos, com excelentes museus, instalações esportivas, palcos e muito lazer ao ar livre, no mais puro espírito socialista.

Saiba mais no site Viagem e Turismo

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.