Ouça "Notícias da Amazônia ao vivo!" no Spreaker.

Nenhuma quantidade de álcool é segura para a saúde, aponta estudo

Substância casou a morte de 2,8 milhões de pessoas em 2016

Beber, mesmo que seja apenas uma taça de vinho ou um copo de cerveja por dia, é um risco para a saúde, segundo um amplo estudo sobre a frequência e o impacto do consumo de álcool, responsável por três milhões de mortes por ano no mundo. O texto, publicado na sexta-feira (24) pela revista médica The Lancet, avalia os níveis de consumo de álcool e seus efeitos na saúde em 195 países entre 1990 e 2016.

Conforme o levantamento, uma em cada três pessoas que consomem álcool morre por ano em decorrência de problemas de saúde relacionados à bebida. Destes, 2,2% são mulheres e 6,8%, homens. O mundo conta com 2,4 bilhões de bebedores, 63% deles homens.

O resultado desses índices foi o número de mortes ocasionadas pelo álcool em 2016: 2,8 milhões no mundo todo. Nestes mesmo ano, o consumo de álcool era o sétimo fator de risco de morte prematura e de invalidez no mundo, e a principal causa de morte entre as pessoas com entre 15 e 49 anos (acidentes em estrada, suicídios, tuberculose). No geral, as bebidas alcoólicas estão relacionadas com uma em cada 10 mortes desta faixa etária. Já a partir dos 50 anos, o câncer representa a principal causa de mortes associadas ao álcool.

Veja íntegra no site Gauchazh

Ouça "Notícias da Amazônia ao vivo!" no Spreaker.

O que você pensa sobre este artigo?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: