Educa

Telhado de corredor de escola do AP desaba e fere sete crianças e adolescentes

Queda ocorreu na noite de sábado (12), durante evento na escola Everaldo Vasconcelos, em Santana. CBM interditou o prédio, após avaliação inicial da estrutura.

Sete crianças e adolescentes, com idades entre 12 e 18 anos, ficaram feridas após o desabamento do telhado de um corredor da Escola Estadual Everaldo da Silva Vasconcelos Júnior, localizada no bairro Paraíso, em Santana, a 17 quilômetros de Macapá. A queda ocorreu por volta das 19h de sábado (12), enquanto ocorria um evento escolar.

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar (CBM) do Amapá, as sete vítimas foram levadas para o pronto-socorro de Santana. A suspeita inicial é que o telhado tenha escorregado por falhas na estrutura.

“A estrutura veio toda a baixo. Fizemos alguns escoramentos para não desabar mais o resto, isolamos a área e fechamos a escola. […] Como ocorreu à noite, fica difícil fazer uma análise detalhada, mas o que a gente percebeu inicialmente é que aconteceu um escorregamento da estrutura que sustenta o telhado. Mas o que provocou o escorregamento será apurado numa análise mais detalhada”, disse o major Manoel Nunes, comandante em exercício do grupamento do CBM que atende Santana.

O corredor coberto tinha cerca de 35 metros de comprimento por dois metros de largura, e dava acesso a quatro salas de aula. A estrutura do telhado, segundo o major Nunes, era sustentada por madeira, o telhado em si era feito de telhas de barro.

A escola foi interditada por tempo indeterminado. Uma vistoria mais detalhada de todo o prédio da escola acontecerá na segunda-feira (14), informou o CBM. A visita deve ocorrer com presença de militares da Defesa Civil Estadual e representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seed).

As sete vítimas do desabamento foram atendidas pelo CBM e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e levadas ao pronto-socorro de Santana. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que somente quatro delas foram atendidas. Uma, de idade não informada, teve suspeita de fratura da clavícula, por isso foi encaminhada ao Hospital de Emergência (HE) de Macapá. Os outros três feridos tiveram escoriações, receberam cuidados e foram liberados ainda no sábado.

O evento que ocorria na escola no momento do acidente era chamado “Raízes”, culminância de um projeto que celebrava os 25 anos de criação da escola. Estavam ocorrendo apresentações culturais no pátio da escola e visitações nas salas de aula.

A escola foi interditada por tempo indeterminado. Uma vistoria mais detalhada de todo o prédio da escola acontecerá na segunda-feira (14), informou o CBM. A visita deve ocorrer com presença de militares da Defesa Civil Estadual e representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seed).

As sete vítimas do desabamento foram atendidas pelo CBM e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e levadas ao pronto-socorro de Santana. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que somente quatro delas foram atendidas. Uma, de idade não informada, teve suspeita de fratura da clavícula, por isso foi encaminhada ao Hospital de Emergência (HE) de Macapá. Os outros três feridos tiveram escoriações, receberam cuidados e foram liberados ainda no sábado.

O evento que ocorria na escola no momento do acidente era chamado “Raízes”, culminância de um projeto que celebrava os 25 anos de criação da escola. Estavam ocorrendo apresentações culturais no pátio da escola e visitações nas salas de aula.

A escola foi interditada por tempo indeterminado. Uma vistoria mais detalhada de todo o prédio da escola acontecerá na segunda-feira (14), informou o CBM. A visita deve ocorrer com presença de militares da Defesa Civil Estadual e representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seed).

As sete vítimas do desabamento foram atendidas pelo CBM e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e levadas ao pronto-socorro de Santana. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que somente quatro delas foram atendidas. Uma, de idade não informada, teve suspeita de fratura da clavícula, por isso foi encaminhada ao Hospital de Emergência (HE) de Macapá. Os outros três feridos tiveram escoriações, receberam cuidados e foram liberados ainda no sábado.

O evento que ocorria na escola no momento do acidente era chamado “Raízes”, culminância de um projeto que celebrava os 25 anos de criação da escola. Estavam ocorrendo apresentações culturais no pátio da escola e visitações nas salas de aula.

A escola foi interditada por tempo indeterminado. Uma vistoria mais detalhada de todo o prédio da escola acontecerá na segunda-feira (14), informou o CBM. A visita deve ocorrer com presença de militares da Defesa Civil Estadual e representantes da Secretaria de Estado da Educação (Seed).

As sete vítimas do desabamento foram atendidas pelo CBM e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e levadas ao pronto-socorro de Santana. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que somente quatro delas foram atendidas. Uma, de idade não informada, teve suspeita de fratura da clavícula, por isso foi encaminhada ao Hospital de Emergência (HE) de Macapá. Os outros três feridos tiveram escoriações, receberam cuidados e foram liberados ainda no sábado.

O evento que ocorria na escola no momento do acidente era chamado “Raízes”, culminância de um projeto que celebrava os 25 anos de criação da escola. Estavam ocorrendo apresentações culturais no pátio da escola e visitações nas salas de aula.

Fabiana Figueiredo/G1 Amapá

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: