Educa

Unicef alerta para surto de sarampo no Brasil

Após analisar os dados sobre sarampo dos últimos dois anos em 194 países, o Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef) emitiu um alerta nesta semana para o aumento de casos da doença no mundo.

De acordo com o órgão, a alta foi puxada principalmente por 10 países, que juntos, somam mais de 74% dos casos da doença no ano passado. O Brasil, por sua vez, está entre eles.

Além do Brasil, Ucrânia, Filipinas, Iêmen, Venezuela, Tailândia, Sérvia, Madagascar, Sudão e França também apresentaram um crescimento expressivo no número de ocorrências da doença. Campanhas de vacinação já estão sendo realizadas em alguns destes países.

Segundo a entidade, o Brasil é o terceiro país que registrou mais casos de sarampo em 2018, com 10.262 ocorrências. O Ministério da Saúde informou que apenas três estados brasileiros registraram casos da doença: Amazonas, Pará e Roraima.

O ranking elaborado pela Unicef teve a Ucrânia como líder, com pouco mais de 35.120 casos. Neste ano, o país europeu já possui 24.042 pessoas infectadas pelo vírus. Em 2019, no caso das Filipinas, até o dia 18 de fevereiro, houve 12.736 casos e 203 mortes.

“Passamos 2016 e 2017 sem nenhum registro. A partir de fevereiro de 2018 que começou a apresentar a notificação de casos. Precisamos continuar perseguindo a cobertura de rotina que tem um calendário de vacinação para garantir a eliminação da doença”, explicou Cristina Albuquerque, chefe da área de saúde e envolvimento infantil da Unicef no Brasil.

O sarampo é altamente contagioso e a pessoa, segundo a Unicef, pode ser infectada pelo vírus até duas horas depois de um indivíduo com a doença deixar o local. O risco de contaminação é muito alta em crianças malnutridas e bebês que não foram imunizados.

Devem ser vacinadas as crianças de até um ano e adultos de até 49 que não tenham sido imunizados. Aqueles que tomaram as duas doses da vacina não precisam tomar uma nova.

Metro Jornal

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: