Veja lista com dez animais em extinção no Brasil

Educa

Desmatamento, caça predatória, tráfico de animais e poluição são algumas das causas do desaparecimento das espécies

Animais que bebem a água de rios contaminados. Aves que morrem queimadas durante incêndios criminosos em florestas. Répteis e mamíferos que não têm para onde ir depois do desmatamento.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, existem mais de mil espécies em risco de extinção atualmente no Brasil.

Tráfico de animais, queimadas, desmatamento, poluição, caça predatória e construção de hidrelétricas sem que o empreendedor cumpra as exigências previstas para salvamento de espécies antes das obras são as causas mais importantes para o desaparecimento das espécies e para o desequilíbrio dos ecossistemas que leva, pouco tempo depois, mais nomes para a lista.

O resultado, para os seres humanos é a proliferação de doenças, carência de alimentos, invasão de insetos, entre inúmeros outros males.

Selecionamos dez animais com risco de extinção no Brasil. Veja a lista.

Ararajuba

A ave verde e amarela, também conhecida como Guaruba, está ameaçada pelo tráfico e pelo desmatamento. Ela vive na Amazônica e sua conservação é dificultada pela falta de informação sobre seus hábitos.

Arara-azul

A exótica e linda arara azul é bastante cobiçada por caçadores porque suas asas têm grande valor no mercado internacional. Sofre, portanto, com tráfico, caça ilegal e desmatamento. Vive na Amazônia e no Pantanal.

Ariranha

A contaminação de rios por mercúrio tem sido a maior inimiga da ariranha, também conhecida como lobo do rio ou lontra gigante. Mas a caça ilegal, a pesca predatória e outros tipos de poluição dos rios também são ameaças graves. É encontrada no Pantanal e na Amazônia.

Baleia-franca

Encontrada no litoral brasileiro, também é chamada de baleia-franco-do-sul ou baleia-franca-austral. Sofre com a caça, pesca e poluição das águas, com destaque para plásticos.

Cervo-do-pantanal

Do Pantanal, também pode ser encontrado, ainda, na Amazônia e no Cerrado. A construção de usinas hidrelétricas, desmatamento e caça ilegal são suas grandes ameaças.

Gato-maracajá

Esse gato da Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal teve, ao longo de décadas, a venda da sua pele como a maior ameaça. Atualmente, o desmatamento é o que ameaça sua sobrevivência.

Macaco-aranha

Também conhecido como coatá, vive na Amazônia e, aos nossos olhos, é uma figura engraçada por possuir pernas e braços muito longos. Sofre com o desmatamento, caça-ilegal e tráfico de animais silvestres.

Mico-leão-dourado

Por muito pouco, o mico-leão-dourado já não foi extinto. Campanhas pela sua salvação ao longo de décadas ajudam a manter a espécie. Ele é da Mata Atlântica e os poucos indivíduos que restam estão restritos aos remanescentes de florestas do estado do Rio de Janeiro.

Onça-pintada

O maior felino das Américas sofre com a destruição do seu habitat e a caça ilegal para comércio da sua pele, que possui grande valor de venda no mercado mundial. Ela vive em todos os biomas brasileiros, mas não é mais encontrada no Pampa, onde já está extinta.

Tartaruga-oliva

É considerada migratória, mas desova, principalmente, entre o litoral sul de Alagoas e norte da Bahia. Projetos pelos salvamento da espécie conseguiram diminuir a coleta de seus ovos, mas ela ainda enfrenta a caça ilegal, pesca acidental e poluição das águas.

Destak Jornal

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.