Sistema prisional do Acre desenvolve ações para evitar surto de tuberculose

O ambiente prisional é um dos que mais facilita a transmissão da tuberculose devido à umidade, aglomeração de pessoas e falta de higiene.

No Acre, o Iapen, Instituto de Administração Penitenciária do estado, desenvolve ações educativas com internos e familiares para evitar surtos da doença.

Atualmente, 79 detentos estão em tratamento, a maioria, 58, são de penitenciárias da capital Rio Branco.

De acordo com a gerente de Saúde do Iapen, Ingrid Suarez, após a confirmação da tuberculose por meio de testes rápidos, o detento começa a tomar o medicamento no mesmo dia. O tratamento, que dura 6 meses, é acompanhado de perto pelas equipes de saúde e, por isso, segundo Ingrid, o índice de cura é alto nas unidades prisionais do Acre.

A tuberculose é uma doença infecciosa e afeta principalmente os pulmões. É transmitida pela saliva, por meio da fala, espirro e tosse. Os sintomas mais comuns são tosse persistente, febre baixa no período da tarde, sudorese noturna, falta de apetite e perda de peso.

EBC

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: