5 dicas para impulsionar a carreira

Segundo especialista, é preciso prestar atenção em pilares como saúde física e mental, rede de relacionamentos e competências

Em meio à crise econômica e de empregos que assola o Brasil, é preciso elevar a própria empregabilidade – ou seja, aprimorar as características que são atrativas para o empregador, aponta a psicóloga e professora do Centro Universitário Internacional Uninter, Elizabeth Nery Sinnott.

Para isso, a especialista destaca que é importante prestar atenção nos cinco pilares que ajudam a manter-se empregável: competências, saúde física e mental, reserva financeira, idoneidade e rede de relacionamentos. Confira abaixo.

-Competência – “Identifique o que gosta de fazer e invista nisso, faça cursos, aperfeiçoe-se. Investigue o que o mercado procura em um profissional da sua área”, afirma Elizabeth. A especialista exemplifica que, por vezes, as empresas buscam algumas habilidades técnicas, como conhecimento avançado do software Excel e domínio de um idioma além do português. Mesmo assim, demoram para encontrar alguém qualificado. “Hoje existem cursos gratuitos de computação e idiomas na internet. Basta ter vontade e disciplina para fazer”, orienta. Com isso, o desenvolvimento frequente das competências traz resultados positivos na conquista das oportunidades.

-Saúde física e mental – O segundo pilar da empregabilidade, a saúde física e mental, acaba sendo pouco valorizado por quem está buscando emprego. “Nós ‘funcionamos’ melhor quando a nossa saúde está bem cuidada, atingimos melhores resultados. Não é preciso gastar com isso, apenas realizar alguma atividade física regular. Quanto à saúde mental, o mercado busca pessoas com autoconfiança e inteligência emocional elevada, que acreditam em si mesmas”, defende.

Reserva financeira – Já o critério ‘reserva financeira’ tem dois objetivos. O primeiro, mais óbvio, é garantir-se em caso de desemprego repentino. “Não conte apenas com o seguro-desemprego, é sempre bom ter um dinheiro em caso de emergências. Isso também evita que você aceite uma vaga qualquer, que não se encaixa no seu perfil, e que se arrependa depois”, diz. O segundo objetivo é usar esse dinheiro para investir em cursos de atualização, mantendo-se em dia com o mercado.

Veja mais no CIO

O que você pensa sobre este artigo?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: