Cortou e arou: operação combate uso de linha encerada em Macapá

Educa

A Guarda Civil Municipal de Macapá (GCMM) iniciou no domingo, 16, a operação Pipa sem cerol – brincadeira consciente, com o objetivo de evitar o uso de linhas enceradas. O foco da corporação nestas férias continua sendo as linhas chilenas.

O trabalho teve início na orla de Macapá e se concentrou, especialmente, no entorno da Fortaleza de São José de Macapá, onde o fluxo de crianças e adolescentes é maior para a prática da brincadeira. Pouco mais de cinco carretéis foram apreendidos com linhas enceradas.

“Este ano, iniciamos mais cedo a fiscalização e estamos à disposição da comunidade para apreender esses materiais cortantes e evitar acidentes. No domingo, conseguimos identificar pessoas usando cerol na orla. Continuaremos com as rondas e apreenderemos esse tipo de material”, explica o subcomandante da GCMM, inspetor Deocival Camarão.

A Lei n° 1.455/05, chamada de Lei do Cerol, proibi o uso do material cortante em linhas de pipas, papagaios e similares nos logradouros públicos do município de Macapá. O cerol em contato com a pele pode causar profundos cortes. “Orientamos que os pais não deixem os filhos usarem esse material. Que verifiquem o brinquedo dos filhos, pois estamos fiscalizando e retiraremos o material de circulação”, orienta o subcomandante.

Também será fiscalizada, junto com outros órgãos, a venda do material em miniboxes e comércios. As linhas de cerol apreendidas estão sendo armazenadas no Comando Geral da Guarda Municipal. Após o término do verão, o material será incinerado.

 

Cássia Lima

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.