Chegaram para ficar: o Brasil do poker e dos eSports

Photo by Jakob Wells >>> CC BY 2.0 >>> “Brasil já assume papel de protagonismo nos eSports e no poker”

A evolução da tecnologia trouxe junto um novo cenário esportivo para o Brasil e o mundo, abrindo portas para milhões de pessoas. Das modalidades que ganharam ênfase no século XXI com o avanço tecnológico, os eSports e o poker certamente ocupam uma posição de destaque no cenário esportivo brasileiro atual.

Com públicos entusiastas e calendários recheados de grandes eventos em praticamente todos os meses do ano, o poker e os esportes eletrônicos atraem milhões de seguidores em todo o Brasil, se firmando como grandes potências. Além do mais, estão em processo de expansão, com potencial para alçar voos ainda maiores.

Fenômeno eSports 

De acordo com a Newzoo, consultoria especializada no mercado de games, o Brasil ocupa atualmente a 13ª colocação no ranking dos países que mais movimentam a indústria de esportes eletrônicos. Além disso, há 9,2 milhões de brasileiros assistindo a conteúdo profissional de esportes eletrônicos mais de uma vez por mês.

O principal termômetro da febre dos eSports é a Twitch TV, uma das maiores plataformas de streaming de jogos do mundo. Nos EUA, por exemplo, a Twitch já tem uma audiência superior ao horário nobre de emissoras de TV, algo inimaginável há dez anos.

Photo by Gage Skidmore  CC BY 2.0 “Twitch TV caminha a passos largos para dominar o mercado de streaming para gamers”

“É uma audiência cativa e leal. Onde há pessoas que pensam de forma similar, todas agregadas em um lugar, presas em torno da mesma coisa e participando das mesmas experiências, isso oferece um ambiente realmente único para se direcionar [anúncios]”, comentou Adam Shlachter, chefe de ativação de mídia da agência de marketing DigitasLBi.

No Brasil, Alexandre Gaules, ex- jogador profissional de CS: GO e atualmente streamer na Twitch TV, bateu o recorde de audiência de um canal brasileiro na plataforma em março desse ano. Ao transmitir uma partida do jogo CS: GO entre MIBR x Astralis, que foi válida pelo evento IEM Katowice Major, Gaules conseguiu atingir em seu canal 149.913 espectadores simultâneos.

O aumento da popularidade dos esportes eletrônicos no Brasil inclusive chamou a atenção de grandes clubes brasileiros. Flamengo e Corinthians, além de outros times de massa no Brasil, têm suas equipes de eSports que percorrem o país e levam o público do futebol aos eventos de esportes eletrônicos.

Líder de audiência e público no cenário dos eSports no Brasil, o Flamengo eSports já consegue ser autossustentável. “Desportivamente, financeiramente e do ponto de vista de audiência o balanço é bem positivo. Tivemos crescimento em nossas redes sociais dedicadas aos eSports e atletas ganhando diferentes prêmios”, aponta Daniel Orlean, ex-vice-presidente de marketing do Flamengo, em entrevista para a ESPN Brasil.

Apesar do Brasil ser uma das principais potências de eSports no mundo, outros países levam vantagem por terem conexões de internet mais estáveis, como Coréia do Sul, EUA e China

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 54,7 milhões de brasileiros com 10 anos ou mais não acessam à internet no Brasil. Portanto, ainda há um longo caminho para explorar todo o potencial dos esportes eletrônicos por aqui.

Poker brasileiro é referência mundial

Desde 2008, o Brasil teve cinco campeões mundiais no WSOP. Considerada a Copa do Mundo de Poker, o WSOP é um evento onde os melhores jogadores do poker mundial se reúnem todos os anos para disputar uma série de torneios em Las Vegas.

Photo by Moyan Brenn >>> CC BY 2.0 >>> “Las Vegas, a casa do WSOP”

Ter cinco campeões mundiais em um esporte tão disputado como o poker não é para qualquer nação. São eles: Alexandre Gomes (2008), André Akkari (2011), Thiago Decano (2015), Roberly Felício (2018) e Murilo Figueiredo, que conquistou o título da competição disputada em Las Vegas em junho desse ano.

 “Eu sempre acreditei no meu potencial. Assim, não querendo ser arrogante, mas sempre fui confiante que ganharia um bracelete algum dia. Não esperava que seria tão cedo assim, pois é muito caro vim pra cá e jogar e tudo é em dólar”, disse Murilo em entrevista para o site SuperPoker.

Segundo a Confederação Brasileira de Texas Hold’em (CBTH), entidade máxima desse esporte no país, jogar poker no Brasil já é um hábito de oito milhões de pessoas, sejam elas profissionais ou apenas jogadores recreativos.

Devido a facilidade e comodidade de poder jogar o esporte das cartas em qualquer lugar, uma parte considerável desses oito milhões de jogadores está concentrada no poker online. Isso se deve, em parte, a grandes empresas como a 888 poker, que são responsáveis por oferecer aos jogadores variados torneios abertos a qualquer dia e hora, com estabilidade na conexão e segurança de ponta.

Nos torneios ao vivo, o Campeonato Brasileiro de Poker (BSOP) é considerado pelos especialistas como o circuito mais influente do esporte das cartas latino-americano. O BSOP percorre as principais cidades do Brasil, divulgando o esporte e ampliando os horizontes do poker brasileiro.

“Nós vivemos um momento bastante especial para o nosso esporte. Depois de muitos anos de caminhada, hoje contamos com diversos fatores que fazem o poker cair no gosto popular cada vez mais. Atualmente somos considerados o maior torneio da modalidade na América Latina, possuímos o melhor grupo de ‘dealers’ (responsáveis por arbitrar as mesas) e staff do mundo inteiro”, disse Devanir Campos, diretor do BSOP, em declarações para o portal iG.

O BSOP Millions, etapa anual que encerra a temporada do campeonato brasileiro desde 2014, já é um dos maiores eventos do mundo e caiu no gosto do público e dos principais jogadores do país.

Cenário otimista para ambos esportes nos próximos anos

Além do patrocínio de alguns clubes de futebol, os esportes eletrônicos têm apoio de grandes empresas. Kabum, NetShoes, Coca-Cola, Red Bull, Vivo, entre outras, são exemplos de algumas marcas que investem nos eSports nacional, ajudando a estruturar os esportes eletrônicos no país e atraindo mais parceiros.

Já a CBTH, entidade máxima do poker brasileiro, espera que o Brasil ultrapasse a marca dos 10 milhões de praticantes até 2021. Além disso, os campeonatos estaduais ganharam muita força nos últimos anos e alguns já servem de modelo para o resto do Brasil, como é o caso do Campeonato Paulista de Poker.

Por qualquer ângulo que se observe, o futuro dessas duas modalidades no país não poderia ser mais promissor.

Clique aqui e Inscreva-se agora!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: