CE pode aprovar fundo para conceder bolsas de estudo em faculdades privadas

Educa

A Comissão de Educação (CE) pode aprovar na terça-feira (16) o relatório de Jorginho Mello (PL-SC) ao projeto de lei que cria o Fundo de Incentivo à Formação Superior (Fifs). O objetivo do fundo é conceder bolsas de estudos para estudantes carentes nas faculdades privadas.

Pelo texto (PLS 339/2018), as bolsas só poderão ser concedidas para alunos com renda não superior a um salário mínimo e meio. Além do critério socioeconômico, os beneficiados terão que ter uma nota superior a 400 pontos nas provas do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) e nota superior a zero na prova de redação da mesma avaliação.

O PLS 339/2018 também determina que as faculdades deverão oferecer nivelamento de estudos aos alunos contemplados, quando isso for necessário. O texto ainda prevê que, para manter a bolsa, o estudante deverá cumprir um requisito de desempenho acadêmico estabelecido em regulamento e observar o tempo médio para a conclusão do curso.

As bolsas serão pagas diretamente ao aluno, correspondendo a 60% dos encargos. A faculdade arcará com outros 20%, ficando os 20% restantes a cargo do aluno contemplado. O Fifs deverá ser constituído com recursos orçamentários e de doações, contribuições de organismos de cooperação, receitas de operações do próprio fundo e outros recursos destinados por lei.

Crise econômica
No relatório, Jorginho Mello diz ser favorável à criação do Fifs “porque a crise econômica tem criado dificuldades para muitos estudantes pagarem as mensalidades escolares”. Ele acrescenta ainda que a crise persistente tem levado outros tantos estudantes à inadimplência com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Caso a proposta seja aprovada na CE, ela seguirá para análise da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE).

Agência Senado

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.