Educa

Adoção, acolhimento provisório e apadrinhamento são temas de oficina

Com a proposta tirar dúvidas e sensibilizar a população sobre temas como apadrinhamento afetivo, Família Acolhedora e adoção, os abrigos Lar Batista Janell Doyle e Núcleo de Assistência a Criança e Família em Situação de Risco (Nacer) realizam, neste sábado (31), a oficina “Toda criança tem direito à família”. O evento ocorre das 8h às 17h, na sede do Nacer, localizada na Rua 35, 2B, Conjunto Castelo Branco, no Parque 10 de Novembro.

Diretora do Lar Batista Janell Doyle, a psicóloga Magaly Araújo será responsável por ministrar a oficina. Segundo ela, é uma oportunidade para quem tem interesse em acolher, adotar ou apadrinhar uma criança entender como funciona cada modalidade de cuidado. “Nós, diretores de abrigos, somos constantemente indagados sobre esses temas. Muitas pessoas têm o desejo de ajudar uma criança ou um adolescente acolhido, mas não sabem que existem outras possibilidades de se estabelecer a convivência familiar além da adoção. Por isso, estamos realizando essa oficina”, explica.

Atualmente, cerca de 47 mil crianças e adolescentes no Brasil estão em situação de acolhimento institucional, de acordo com os dados do Cadastro Nacional de Adoção (CNA), vinculado ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Para reverter a situação, instituições ligadas à causa visam promover novas formas de acolhimento e de criação de vínculo com essas crianças e adolescentes.

No caso do apadrinhamento afetivo, quem se dispõe a ser padrinho e madrinha precisa ter disponibilidade de partilhar tempo e afeto com os menores, que permanecem acolhidos no abrigo. A ideia é possibilitar um vínculo afetivo fora da instituição de acolhimento, sendo permitidos passeios, visitas, entre outras atividades.

Já o programa Família Acolhedora consiste em cadastrar e capacitar famílias para receberem em suas casas, por um período provisório, crianças e adolescentes em situação de risco pessoal e social. A família de apoio assume o papel de parceira no atendimento e na preparação para o retorno à família biológica ou substituta.

“São alternativas para garantirmos ao acolhido a possibilidade de estar inserido em uma família, com cuidados, regras e participação na vida social e comunitária”, conclui Magaly.

As inscrições para participar da oficina custam R$ 50 e podem ser feitas pelo WhatsApp: (92) 9214-8949. O pagamento é por meio de depósito no banco Bradesco, agência 1999, conta corrente 68758-8, ou Banco do Brasil, agência 3378-2, conta corrente 38149-7.

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: