Primeiro animal do Parque Zoobotânico Municipal ainda pode ser visitado

Educa

Fechado há 20 anos por não atender às exigências do Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Parque Zoobotânico, após várias reformas e adaptações, será reaberto no dia 25 de outubro pela Prefeitura de Macapá, agora, com o nome de Bioparque da Amazônia. O espaço conta com uma série de novidades e possui novos e antigos moradores.

Um dos animais que há muitos anos vivem no parque e acompanhou todo o processo de mudança é o urubu-rei, que, apesar de não ter apelido, além do nome de espécie, é conhecido por todos pela sua idade. Com aproximadamente 60 anos, é o urubu-rei mais velho que se tem notícias no Brasil.

Funcionários veteranos que já cuidam do animal há décadas contam que ele foi o primeiro a chegar, já adulto e cego. A demanda especial fez diminuir as expectativas sobre a ave, mas ela resistiu e já tem o dobro da idade que marca a expectativa de vida de animais da sua espécie.

“O urubu-rei é o bicho mais antigo do parque. Outros animais já morreram de velhice, mas ele continua vivo. A gente adora muito ele! Ele veio para cá cego, mas sempre cuidamos dele dando comida no bico”, afirmou Domingos Azulino de Oliveira, funcionário com 42 anos de serviço.

Os colaboradores do parque contam que, apesar das limitações, principalmente no quesito alimentação, o animal se guia pela audição e olfato, não sendo atrapalhado pela falta de visão. Com a reabertura do Bioparque da Amazônia, a população poderá conhecer e desfrutar da companhia da ave em um ambiente que integra pessoas, fauna e flora.

Jhenni Quaresma

Assessora de comunicação/Bioparque da Amazônia

Foto: Max Renê

Aprecie a boa música da Amazônia

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.