Maestro Oscar Santos é homenageado no Amapá Jazz Festival

Educa

Em 2019 o Amapá Jazz Festival chega na 11º edição e privilegia o público com shows regionais, nacional e internacional, durante dois dias, 26 e 26 de outubro, no Complexo Marlindo Serrano. Os grupos Amazon Music e Vocal Ecore e Marrecos Land, Trio Canícula Blues, Orquestra Bahamas, Pierre-Marrie Levailant, Quarteto Inventio, Paulo Flores, Brenda Melo, Joãozinho Gomes, Val Milhomem, Enrico Di Miceli, Esdras de Souza e Arismar do Espírito são atrações confirmadas. Além dos shows, a programação prevê workshops com profissionais da música, aberto para o público. O músico homenageado nesta edição é o maestro Oscar Santos.

O Amapá Jazz Festival é o único evento de porte internacional do Amapá, que faz uma delicada transição musical entre nações, regiões e estilos, e o idioma falado e tocado, e entendido por todos, é o das notas musicais. É um passo importante para a música amapaense, que fica no cenário central durante dois dias, junto com outros grandes artistas, e torna o evento um espaço disputado. O multi-instrumentista e produtor Fineias Nelluty está à frente do Festival, que é o resultado do processo de construção de um projeto musical que alcançou projeção internacional.

No palco do Amapá Jazz já se apresentaram artistas que gozam de grande prestígio, como  Artur Maia, Ney Conceição, o moçambicano Ivan Mazuze, a guianense Jean Marceline, mestre Solano da Guitarrada, entre outros requintados músicos. Falecido neste ano, Artur Maia será homenageado com um tributo feito por Alan Gomes. “O Festival tem este caráter, de promover no Amapá, em seu cenário mais deslumbrante, que é formado pelo rio Amazonas e todo o ambiente natural ao redor, o encontro de músicas e músicos, dialogando em uma única sintonia, além, obvio, de descobrir talentos e incentivar a música instrumental”, disse Fineias.

Atrações

No primeiro dia de Festival, 25, o público irá assistir as apresentações das atrações amapaenses Amazon Music e Finéias Nelluty, Vocal Ecore, Marreco Lande e Canícula Blues; e ainda o paulista Paulo Flores, o francês Pierre-Marrie Levailant, e o Quarteto Inventio, com músicos do Amapá e França.  Pierre- Marrie atualmente mora na Guiana Francesa, onde está nas salas de aula e promove eventos de arte. O Quartet Inventio é formado pelos músicos Nelson Dutra, Paulinho Queiroga, Erwan Escloupier e Pierre- Marrie. Paulo Flores é um paulista autodidata, bacharel em música, e se espalha por diversos braços artísticos como compositor, flautista, pesquisador, cronista, poeta e ilustrador.

Sábado, 26, do Amapá, sobem no palco a Orquestra Bahamas, a cantora Brenda Melo, com especial Tom Jobim, e os artistas Joãozinho Gomes e Val Milhomem, com o show Constelação de Parentes, e Enrico Di Miceli. Para representar outros estados, o convite foi para o saxofonista Esdras de Souza, do Pará, músico com formação jazzística popular e com longa carreira pelo Brasil e exterior. E ainda o capixaba Arismar do Espírito Santo, descendente de uma família de artistas que está na terceira geração, e já esteve no palco com Hermeto Pascoal, César Camargo Mariano e Sebastião Tapajós.

Workshop

O Festival desde o início dá abertura para a troca de experiências e conhecimento, e  Arismar do Espírito Santo irá realizar um ensaio aberto com alunos e professores do CEP Walkíria Lima e interessados. Paulo Flores, que tem uma extensa experiência como musicista, irá ministrar workshop para interessados. As duas iniciativas serão no CEP Walkíria Lima, na quinta-feira, 24.

O Amapá Jazz Festival é patrocinado pela Prefeitura Municipal de Macapá (PMM) e Governo do Estado (GEA),  e tem apoio do Centro de Música Walkíria Lima e Neurocor. A realização do evento é da Associação dos Músicos e Compositores do Amapá (AMCAP) e a direção geral é de Fineias Nelluty.

Mariléia Maciel

Amazônia Brasil Rádio Web ao vivo!

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.