África tem mais de 7 mil casos de covid-19 em 50 países

No total, 50 dos 55 países e territórios do continente têm casos

A pandemia de Covid-19 já afeta 50 dos 55 países e territórios africanos com mais de 7mil casos de infeção e 280 mortes, depois de o Maláui ter anunciado, nesta sexta-feira (3), os primeiros três casos da doença.

Segundo o boletim de hoje do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), desde o início da pandemia foram notificadas 284 mortes e 7.028 casos no continente africano.

O África CDC registou também mais de 560 doentes recuperados após a infecção.

O Maláui anunciou os primeiros três casos positivos de infecção pelo novo coronavírus, entrando para a longa lista de países africanos afetados pela pandemia.

No total, 50 dos 55 países e territórios membros da União Africana apresentam agora casos comprovados da doença.

O Norte de África mantém-se como a região mais afetada com 3.030 casos, 200 mortes e 314 doentes recuperados.

Na África Austral, são 1.558 os casos registados da doença, que já provocou dez mortes, tendo 48 doentes recuperado da infeção.

Veja também:

Novo coronavírus traz novos desafios para cuidadores de idosos

Denúncias de violência contra a mulher cresceram 9%

Na África Ocidental, há registo de 1.303 infeções, 37 mortes e 164 doentes recuperados.

Até ao momento, não foram anunciados quaisquer casos em São Tomé e Príncipe, Sudão do Sul, Comores, República Sarauí e Lesoto.

Assim, São Tomé e Príncipe é o único país lusófono sem qualquer caso confirmado.

Angola regista oito casos de infecção e duas mortes; Moçambique dez casos e a Guiné-Bissau nove.

Cabo Verde totaliza seis casos de infecção, desde o início da pandemia, e uma morte.

Na Guiné Equatorial, que integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, foram confirmados 15 casos.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infectou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 51 mil.

Dos casos de infecção, cerca de 190 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

RTP

O que você pensa sobre este artigo?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: