AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Caixa TEM falha e trabalhadores não conseguem movimentar R$600 do auxílio

Jheniffer Freitas

A Caixa Econômica informou por meio de nota que o problema de instabilidade no aplicativo da Caixa Tem é por conta do excessivo número de acessos. O aplicativo no qual permite aos trabalhadores que receberam o auxílio emergencial de R$600 na poupança digital movimentarem o dinheiro, registrou mais de 200 mil usuários simultâneos na última sexta-feira (24).

O banco espera que esse número aumente e chegue a atingir até 500 mil acessos simultâneos.

Paula, uma de nossas leitoras, informou que está enfrentando diversos problemas para acessar o aplicativo. Ela está tentando movimentar o seu dinheiro mas, não consegue.

Quem acessa o aplicativo fica na plataforma pelo período de 10 minutos em média. Por conta disso, a Caixa orienta que os trabalhadores que baixaram o aplicativo só façam uso se for necessário.

A Caixa informou que identificou cerca de 20 milhões de pessoas que usaram o aplicativo e que são correntistas ou beneficiários do programa Bolsa Família.

Em nota, o banco esclareceu que:

Veja também:

WhatsApp ou ICQ: compare os aplicativos de mensagem

Nasa comemora 30 anos do telescópio Hubble com imagem inédita

“Dentre as 32,2 milhões de pessoas que realizaram downloads do Caixa Tem, apenas 12 milhões fazem parte do público-alvo que recebe o auxílio pelo aplicativo. O banco ressalta que os seguintes beneficiários não precisam ter o aplicativo para acessar o auxílio: os do Bolsa Família, os que já têm poupança na Caixa e os correntistas de outros bancos”, diz a nota.

De acordo com o banco, aqueles que possuírem dificuldades em acessar o aplicativo devem esperar um tempo e insistir.

Desde o dia 9 de abril, o banco já pagou o auxílio para 31 milhões de pessoas. Em uma semana, foram registrados mais de 27 milhões de transações no aplicativo, entre consultas e movimentações financeiras.

Na última quarta-feira (22), o governo voltou atrás e disse que não vai mais pagar a segunda parcela antecipada, como tinha sido informado pelo ministro da cidadania, Onyz Lorenzoni, e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

Na nota do Ministério da Cidadania, a pasta informou que faltam recursos no orçamento para que possa ser realizada essa antecipação e que será necessário aprovar um crédito suplementar para isso.

Via fdr

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: