AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Médicos alertam: cuidados com crianças devem ser redobrados durante pandemia do novo Coronavírus

As orientações para evitar o contágio pelo novo Coronavírus passaram a fazer parte do nosso dia a dia. Lavar as mãos com frequência usando água e sabão ou um desinfetante à base de álcool a 70%, o uso de máscara e o distanciamento social é o principal protocolo que vem sendo adotado pela população. Entretanto, em crianças, a prática segue em regras diferentes e carece de atenção redobrada.

Cuidados

É certo que evitar que eles coloquem a mão na boca, nariz ou olhos, ou mesmo garantir que cubram a boca com o braço ao tossir ou espirrar se torna quase impossível. Dessa forma, vale restringir bastante o contato social, além de manter o hábito de higiene com produtos eficazes, mas indicados para a faixa etária da criança. Vale lembrar também que menores de 2 anos de idade não devem usar máscaras faciais devido aos riscos de sufocação.

Outra recomendação importante é ficar atento à higienização de brinquedos, especialmente na fase oral, em que a criança leva tudo à boca. Outra dica é manter a casa sempre arejada.

Alimentação

Além dos cuidados com a higiene, a alimentação das crianças também é importante. Neste período, principalmente, comer de forma saudável é essencial para garantir a imunidade da criança. A ingestão de líquido deve ser frequente para manter a criança hidratada.

Ao contrário do que muitos pensam, além de contrair o vírus, as crianças também podem transmitir a doença. Daí a importância de tomar medidas para conter a disseminação do vírus.

Crianças assintomáticas e sintomáticas

Segundo a médica Ana Chucre, uma das responsáveis pelo protocolo terapêutico aplicado no tratamento da Covid-19 nas UBS’s, nas crianças assintomáticas, o diagnóstico fica muito mais difícil. Porém, aquelas que tiveram contato com alguém com sintomas gripais que evoluíram com tosse, febre, diarreia e vômito podem estar contaminadas e devem ser imediatamente avaliadas por um médico.

“Crianças maiores podem manifestar sintomas semelhantes aos de adultos como tosse, cansaço e febre. Quanto a menores, podem ter apenas coriza, diarreia, vômito”, esclarece a médica. Na faixa etária pediátrica, os pais devem ficar em alerta sempre. É importante lembrar que o período de contágio é o mesmo: 14 dias. “Portanto, se o seu filho apresentar sintomas de gripe e testar positivo, mesmo que melhore antes, deve guardar o tempo de quarentena de 14 dias, a contar desde o primeiro dia do primeiro sintoma”, alerta Ana Chucre.

Tratamento em crianças

O tratamento da Covid-19 em crianças varia de acordo com a idade e é totalmente diferente do método usado em adultos. A medicação é aplicada de acordo com a idade e quadro clínico da criança. “É importante lembrar que os pais não devem dar remédio para a criança em casa. Ela precisa ser avaliada por um médico e submetida a exames laboratoriais específicos. Quanto antes identificado o problema, mais rápido será a recuperação da criança”, orienta a médica.

Secretaria de Comunicação de Macapá

Mônica Silva

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: