AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Crashcode: saiba como identificar mensagens que travam o WhatsApp

Conteúdo malicioso pode travar o app de forma irreversível; confira como identificar e evitar o problema

Com milhões de usuários em todo o mundo, o WhatsApp se tornou um prato cheio para os hackers de plantão. A ameaça do momento é o compartilhamento de mensagens com termos assustadores. Fique atento para saber como identificar e evitar o problema.

Esse tipo de conteúdo gera um loop de travamento que acaba com a experiência de uso do mensageiro. Por enquanto, não tem muito o que fazer numa situação dessas, visto que fechar e abrir o app resulta em novos travamentos. Apesar de o time de desenvolvedores do WhatsApp estar ciente da situação, ainda não foi encontrada uma solução definitiva para o problema.

No Brasil, esse tipo de prática está se espalhando rapidamente, portanto é importante ficar atento para qualquer conteúdo desconhecido. Um usuário sugeriu ao time de desenvolvedores do app a integração de uma ferramenta ou script capaz de detectar e neutralizar de vez ataques como esse. No tuíte abaixo é possível conferir alguns exemplos práticos de mensagens maliciosas:

Até existem versões modificadas do WhatsApp que possuem uma espécie de proteção contra esse tipo de ataque, mas optar por trocar o cliente oficial por outro também pode trazer riscos. Toda a troca de informações, por exemplo, não conta com as mesmas ferramentas de criptografia usadas no aplicativo convencional.

Veja também:
Indicadores do mercado de trabalho da FGV apresentam melhora em agosto
À espera de novo concurso, TJAP tem 239 cargos em aberto
Momento Espírita: Homens livros

O que fazer se receber conteúdo desse tipo?
Uma das formas de reverter o processo de travamentos é usar o WhatsApp Web para apagar mensagens como essa. Nesse caso o aplicativo volta a funcionar normalmente no smartphone.

Veja mais no Olhar Digital

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: