AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Retorno do auxílio emergencial vai pagar R$ 300 ou R$ 200?

Saulo Moreira

Após o fim do auxílio emergencial em dezembro do ano passado, é aguardando com grande esperança em todo o país a prorrogação do benefício para este ano de 2021, seja em parcelas de R$ 600 ou R$ 300. Especula-se que o programa tenha liberação no valor de R$200, mas até agora não há nada concreto sobre o assunto. Dessa forma, diante desse cenário, qual deve ser o valor da nova prorrogação do benefício?

Na última semana, o novo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), voltou a falar da necessidade da retomada dos pagamentos do auxílio emergencial. Para isso acontecer, segundo ele, será necessário respeitar o programa fiscal do governo para este ano.

Pacheco revelou que Paulo Guedes se mostra receptivo com o objetivo de continuar com um plano de assistência à renda para os brasileiros em situação de vulnerabilidade durante a pandemia.

“É inegável que, com a pandemia ainda não tendo acabado, é fundamental que a gente tenha que auxiliar as pessoas, seja com incremento do Bolsa Família ou com o auxílio emergencial. É preciso ter essa assistência social mais imediata. Eu senti receptividade do ministro Paulo Guedes à ideia que, com toda a responsabilidade fiscal, possamos ter assistência social mais imediata enquanto a vacina não for capaz de imunizar toda a população brasileira”, disse Pacheco.

Veja também:
Assistentes sociais também desempenham papel importante na pandemia; confira
Aprovado auxílio emergencial em 2021 para novo grupo; veja quem recebe
Relatório da ONU alerta para aumento de extremismo durante pandemia

No que se refere aos valores da prorrogação do auxílio emergencial, Pacheco não quis especificar um valor. No entanto, o Congresso Nacional segue estudando a possibilidade de prorrogação do auxílio emergencial com parcelas de R$300. O Governo estuda adotar pagamentos com valor de R$200.

O Legislativo e um Executivo chegam ao consenso em um ponto: é necessário que o programa seja mais enxuto, somente recebendo quem realmente está vulnerável. O objetivo da proposta é de que pelo menos metade dos beneficiários que receberam em 2020 sejam cortados para que o benefício seja prorrogado.

“Há uma expectativa muito grande. Estamos trabalhando para isso. O valor [do auxílio] é impossível prever, mas lutaremos por um valor que seja digno a quem recebe, com possibilidade para quem paga, dentro dos parâmetros da responsabilidade fiscal”, disse o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

Veja mais no site Notícias Concursos

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: