Educa

UEAP sedia I Encontro de Geoprocessamento do Estado do Amapá

Com o intuito de compartilhar experiências sobre os avanços no geoprocessamento cartográfico na região, será realizado no próximo dia 27, na Universidade do Estado (UEAP), o I Encontro de Geoprocessamento do Estado do Amapá (I EGAP). O evento reunirá técnicos, gestores, acadêmicos e empresários, no campus I (Av. Presidente Vargas, 650), e é aberto a pessoas interessadas no tema.

A convite da coordenação dos cursos de Engenharia Florestal e Engenharia Ambiental, equipes do Exército Brasileiro, Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Instituto de Estudos e Pesquisas do Estado do Amapá (Iepa) e da empresa Amcel organizarão um dia inteiro dedicado a palestras e discussões sobre as políticas no trabalho de mapeamento do Estado, considerado pelos especialistas como o último "vazio cartográfico" do país.

Desperdício
O tenente Mauro Sérgio, da 4ª Divisão de Levantamento (DL) da Diretoria de Serviço Geográfico (DSG) do Exército Brasileiro, aponta para uma carência de comunicação entre as instituições que operam o geoprocessamento do Amapá.

"Hoje há uma grande desconcentração de informação. Cada órgão trabalha separado e gera seus próprios dados, mas ninguém conversa e muitas vezes desperdiçamos esforços na mesma coisa, promovendo múltiplos empregos de recursos para obter uma mesma informação", observou o tenente.

De acordo com ele, a equipe da 4ªDL usa tecnologia capaz de concentrar várias informações geomorfológicas: hidrografia, relevo, vegetação, sistema de transportes, energia, comunicações, abastecimento de água e saneamento básico. O tenente reforça que cada gestor pode se apropriar desses dados para os diversos fins. "Por exemplo, aquele que trabalha com área de marinha, vai poder usar os dados do mapeamento de acordo com a sua necessidade", exemplificou.

Além do aspecto físico, também serão cartografadas áreas de divisa, cobertura de cidades, distritos e residências.

Programação
Na programação do I EGAP serão realizadas palestras sobre projetos do governo, empresariais e acadêmicos que utilizam técnicas de geoprocessamento. Confira abaixo os horários e temas das reuniões:

– 9h00 – Concepção do Projeto Base Cartográfica Digital e Contínua do Amapá, Msc. Cláudia Funi (SEMA);
– 10h00 – Execução e produtos do Projeto Base Cartográfica Digital e Contínua do Amapá, com o tenente Mauro Sérgio (4ª DL/DSG – Exército Brasileiro);
– 14h00 – Projeto de Zoneamento do Cerrado Amapaense, com Dr. Benedito Rabelo (IEPA);
– 15h00 – Utilização da geotecnologia nas operações florestais, com Rogério Cardoso (AMCEL).

Dê sua opinião, não fique calado!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: