AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Presidente da OAB/AP reuniu-se com o Ministro da Justiça

O presidente da OAB/AP, Dr Paulo Henrique Campelo Barbosa acompanhado de presidente de outras Seccionais e do presidente Nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, reuniu-se na manhã da última quarta-feira (25), em Brasília com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo para defender prerrogativas dos advogados durante audiências.

Os pontos da pauta com o Ministro foram: 1- Garantia aos advogados de serem recebidos por qualquer autoridade do país (Defesa de Prerrogativas), 2- Apoio à implantação das audiências de custódia, para réus presos, no prazo de 24 horas e 3- Apoio à sanção do projeto de Lei do novo CPC que foi encaminhado à Presidência.

Para o presidente da Seccional do Amapá, o advogado tem o Direito de ser recebido por qualquer autoridade do país.

“O Estatuto da Advocacia Brasileira nos dá garantia. É uma enorme conquista para a advocacia e para o povo do Amapá, já que o advogado deve reclamar verbalmente ou por escrito para autoridades, se assim for necessário, para defender seus direitos e de seus clientes”, destacou o Presidente da OB/AP, Paulo Henrique Campelo Barbosa.

A defesa também foi feita pelo Presidente Nacional da OAB.

“Queremos, com a mesma intensidade, que aos juízes e procuradores também sejam asseguradas suas prerrogativas de independência e imparcialidade. Um não exclui o outro, na verdade um é complementar do outro. Para se ter justiça, juízes, procuradores e advogados devem ser respeitados e terem asseguradas as suas garantias,” conclui o presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho
.
O Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo apoiou as reivindicações da Advocacia brasileira.

“Todos que atuam no processo judicial devem ter liberdade e independência para desempenhar as suas funções. Assim, advogado, magistrados e membros do Ministério Público são igualmente importantes e essenciais a um processo justo”, defendeu Cardozo.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: