AMAZÔNIA BRASIL RÁDIO WEB

Extrativistas se capacitam no Escritório Regional do Sebrae no Jari

Empreendedores do segmento da castanha do Brasil, no município de Laranjal do Jari, região sul do Amapá, treinam para higiene e manipulação de alimentos com o objetivo na produção de alimento seguro

Denyse Quintas

Integrantes da Associação das Mulheres Quebradeiras de Castanhas do Brasil em Laranjal do Jari, participam do Curso Higiene e Manipulação de Alimentos, no escritório Regional do Sebrae no município. Em parceria com Cooperativa Extrativista de Castanha do Brasil (Comaja), a capacitação reúne 66 mulheres da floresta.

Segundo a gestora do Projeto Desenvolvimento da Indústria do Sebrae em Santana, Vera Matos, o objetivo é capacitar empreendedores do segmento da castanha do Brasil, visando a produção de alimento seguros. “Apresentamos aos participantes valores e atitudes indispensáveis as boas práticas, para que assim apresentem ao cliente final, um produto de qualidade e com segurança alimentar e desta forma tornando-se mais competitivo no mercado”, disse a gestora de projetos do Sebrae, Vera Matos.

Entre os temas, foram abordados os Perigos em Alimentos; Afatoxina na Castanha do Brasil; Aspecto da Legislação e Boas Práticas de Fabricação; Conceito e Procedimentos Padrões de Higiene Operacional e Requisitos Complementares das Boas Práticas de Fabricação e Importância Nutricional e Comercial da Castanha do Brasil.

Comaja

Indústria da floresta Amazônica, na região sul do Amapá que produz o óleo comestível de castanha, um produto em condições de concorrer com o azeite de oliva no mercado mundial. Os produtores do município de Laranjal do Jari estão reunidos na Cooperativa Mista Extrativista Vegetal dos Castanheiros de Laranjal (Comaja) e adaptaram a antiga tradição de coleta de ouriços de castanha a necessidades de escala industrial.

A fábrica começou a operar em abril de 2002, produzia inicialmente 500 quilos, mas pode chegar a duas toneladas diárias. O produto rotulado de ‘Óleo Virgem de Castanha do Brasil’, obteve registro no Ministério da Agricultura, providência a cargo da Organização das Cooperativas do Amapá e da Vigilância Sanitária do Estado. O município tem 44.777 habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/2014). Cresceu com características de favela, após a chegada de trabalhadores atraídos pelo Projeto Jari, voltado à produção de celulose.

A iniciativa não vingou e os moradores locais encontraram nova oportunidade na atividade castanheira ecológica. O primeiro passo foi propiciado pelo governo estadual, que investiu R$ 850 mil na construção da fábrica e na compra de maquinário. Ao Sebrae coube a orientação para a estrutura da entidade que os reúne, que por sua vez serve de exemplo.

Informações:

Indústria de Castanha Comaja

Avenida Tancredo Neves, 2935 – Laranjal do Jari/AP

(96) 621-1197

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: