Extrativistas se capacitam no Escritório Regional do Sebrae no Jari

Empreendedores do segmento da castanha do Brasil, no município de Laranjal do Jari, região sul do Amapá, treinam para higiene e manipulação de alimentos com o objetivo na produção de alimento seguro

Denyse Quintas

Integrantes da Associação das Mulheres Quebradeiras de Castanhas do Brasil em Laranjal do Jari, participam do Curso Higiene e Manipulação de Alimentos, no escritório Regional do Sebrae no município. Em parceria com Cooperativa Extrativista de Castanha do Brasil (Comaja), a capacitação reúne 66 mulheres da floresta.

Segundo a gestora do Projeto Desenvolvimento da Indústria do Sebrae em Santana, Vera Matos, o objetivo é capacitar empreendedores do segmento da castanha do Brasil, visando a produção de alimento seguros. “Apresentamos aos participantes valores e atitudes indispensáveis as boas práticas, para que assim apresentem ao cliente final, um produto de qualidade e com segurança alimentar e desta forma tornando-se mais competitivo no mercado”, disse a gestora de projetos do Sebrae, Vera Matos.

Entre os temas, foram abordados os Perigos em Alimentos; Afatoxina na Castanha do Brasil; Aspecto da Legislação e Boas Práticas de Fabricação; Conceito e Procedimentos Padrões de Higiene Operacional e Requisitos Complementares das Boas Práticas de Fabricação e Importância Nutricional e Comercial da Castanha do Brasil.

Comaja

Indústria da floresta Amazônica, na região sul do Amapá que produz o óleo comestível de castanha, um produto em condições de concorrer com o azeite de oliva no mercado mundial. Os produtores do município de Laranjal do Jari estão reunidos na Cooperativa Mista Extrativista Vegetal dos Castanheiros de Laranjal (Comaja) e adaptaram a antiga tradição de coleta de ouriços de castanha a necessidades de escala industrial.

A fábrica começou a operar em abril de 2002, produzia inicialmente 500 quilos, mas pode chegar a duas toneladas diárias. O produto rotulado de ‘Óleo Virgem de Castanha do Brasil’, obteve registro no Ministério da Agricultura, providência a cargo da Organização das Cooperativas do Amapá e da Vigilância Sanitária do Estado. O município tem 44.777 habitantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/2014). Cresceu com características de favela, após a chegada de trabalhadores atraídos pelo Projeto Jari, voltado à produção de celulose.

A iniciativa não vingou e os moradores locais encontraram nova oportunidade na atividade castanheira ecológica. O primeiro passo foi propiciado pelo governo estadual, que investiu R$ 850 mil na construção da fábrica e na compra de maquinário. Ao Sebrae coube a orientação para a estrutura da entidade que os reúne, que por sua vez serve de exemplo.

Informações:

Indústria de Castanha Comaja

Avenida Tancredo Neves, 2935 – Laranjal do Jari/AP

(96) 621-1197

Para adquirir o e-book "Fotografia da Amazônia" basta contactar o fotógrafo pelo WhatsApp no (96) 3333-4579. A coletânea está no valor de R$ 30.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: