Movimento Desclassificáveis apresenta no palco do Bacabeiras leitura super produzida sobre a lenda da Cobra Grande

“Uma tribo de índios albinos, isolados e nômades compõe uma Amazônia futurista e quase inexistente devido às ações do homem branco. Esse confronto simbólico é retratado em cena na relação entre os seres deste mundo e o mundo dos invisíveis e encantados que habitam principalmente às águas profundas onde começa e inicia a origem do mundo”. É neste contexto narrativo que “Kayeb – Na Pegada da Cobra Grande”, a mais recente montagem teatral do Movimento Cultural Desclassificáveis, se desenvolve. A peça teatral será apresentada no dia 10 de fevereiro, no Bacabeiras.

O mito da Cobra Grande e suas diferentes versões do universo étnico dos índios provenientes das nações Karipuna, Palikur e Galibi-Marworno compõem esse imaginário, que se entrelaça com a origem dos rios, lagos, montanhas e formações geológicas estranhas. A adaptação da Cosmologia dos Povos Indígenas do Uaça e baixo Oiapoque do estado do Amapá ganha vida na proposta dirigida e escrita por Paulo Alfaia, líder do movimento Desclassificáveis. O grupo fez uma apresentação de lançamento da peça ano passado, e a repercussão foi extremamente positiva. Narrativa, cenário, performances, iluminação e as composições de cada personagem chamam atenção do público. É este sucesso que o grupo volta a mostrar no dia 10. Uma mostra de que as produções amapaenses têm muito conteúdo de qualidade.

Para criar suas produções, o Movimento Cultural Desclassificáveis entrou em processo de pesquisa a partir de meados de janeiro de 2011, tendo como objeto de estudo contos, lendas, causos, mitologia, literatura e o universo simbólico indígena. A partir desses estudos e rodadas de bate-papos criou o conceito “Amazourbanidade” em que retrata essa relação urbana e mística com a região amazônica. Daí surgiu o “Projeto Encantaria. Que resultou no espetáculo: “Curupira: Um Ser Inesquecível”, que faz parte da trilogia do projeto “Kayeb – Na Pegada Da Cobra Grande”.

Com este espetáculo, o Movimento Desclassificáveis pretende ir além, levando a montagem para participar de mostras e festivais de teatro, realizar apresentações em escolas das redes pública e particulares, universidades e casas de espetáculos e espaços alternativos e circular em municípios do Estado. A apresentação será no dia 10 de fevereiro de 2017, no Teatro das Bacabeiras, às 20hs. Esse espetáculo é destinado ao público jovem e adulto.

Ficha Técnica:

Direção e Dramaturgia: Paulo Alfaia.

Elenco: Adalton Baia, Ana Paula Vilhena, Hugo Borsantos, Jhou Santos, Jubson Blada e Kayke Sampaio.

Designer Gráfico: Gabriela Marques.

Figurino: Jubson Blada.

Concepção de Luz e Iluminação: Jonh Brennon.

Cenografia: Junior Coêlho.

Contra Regra: Henrique Flores e Wylly Garçon.

Sonoplastia e Direção Musical: Otto Ramos.

 Fotografia e Produção de Vídeo: Gabriela Marques

Comunicação e Divulgação: Rita Torrinha.

Consultoria Artefatos, Instrumentos Musicais e Simbologia Indígenas: Davi Marworno. Realização, Produção, Preparação Corporal e Vocal: Movimento Cultural Desclassificáveis.

Rita Torrinha

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: